Categoria: Cirurgia Plástica

Voltamos a falar da recuperação da Cruroplastia trazendo informações a respeito dos cuidados com as cicatrizes, marcas inevitáveis dessa cirurgia na região das coxas. Além disso, conversamos com o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, para esclarecermos a função exata das meias antitrombóticas nos pacientes recém-operados.

O Dr. Vitorio nos explicou que o uso de meias de compressão é indicado após a Dermolipectomia Crural pois elas atuam na diminuição do edema (inchaço), além de terem ação preventiva contra trombose. Sobre o mesmo tema ele também alertou a respeito do uso de remédios específicos: “dependendo das condições clínicas individuais pode ser necessário o uso de medicamentos anticoagulantes nos dez dias seguintes à cirurgia”.

Cuidados com as cicatrizes também são importantes, como massagens e o uso de cremes e fitas compressivas que levarão ao melhor resultado possível. É importante lembrar que a cicatrização é um processo longo e contínuo (um ano, no mínimo) e que o acompanhamento médico para receber orientações nesse período é importante.

Todos esses cuidados citados devem ser seguidos à risca a fim de que a recuperação do paciente seja satisfatória e com o mínimo desconforto. Os bons resultados da Cruroplastia também estão ligados a um processo pós-operatório baseado na obediência às recomendações médicas.

Conforme prometido, hoje daremos dicas sobre o processo de recuperação da Mamoplastia. Nosso objetivo é ajudá-la a se programar com antecedência para esse período fundamental para se atingir um bom resultado final.

A mama se apoia no músculo que movimenta o braço, de forma que os movimentos do membro superior devem ser contidos e deve-se evitar elevar os cotovelos acima dos ombros. Em decorrência disso, recomenda-se que se evite vestir blusas fechadas. Será de extrema importância também alguma ajuda na hora de lavar e pentear os cabelos. É necessário usar um sutiã pós-cirúrgico nas primeiras semanas.

Alguns cuidados gerais, válidos também para outras cirurgias são evitar esforços e exposição a fontes de calor e à luz do sol. O Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, traz conselhos para você que pretende se submeter à plástica mamária: “A alta hospitalar é no dia seguinte à cirurgia, podendo até mesmo ser no mesmo dia. Em casa você já poderá caminhar, evitando apenas esforços maiores. É importante que atividades que envolvam os membros superiores, como dirigir e determinados exercícios só sejam retomados após 2 a 4 semanas, de maneira gradual e sempre seguindo as orientações de seu médico”.

Continue nos seguindo aqui no blog e nas redes sociais, e aproveite para nos enviar dúvidas sobre Mamoplastia ou qualquer um dos outros procedimentos para que possamos respondê-las dentro dos nossos próximos posts.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

No post de hoje vamos retomar o assunto Blefaroplastia, a cirurgia das pálpebras, mas dessa vez vamos tratar especificamente das pálpebras superiores. A função delas é cobrir os olhos e, para isso, são formadas por um conjunto de estruturas que envolve músculos, tendões, fáscias, ligamentos, entre outros tecidos. Durante a cirurgia, todas essas estruturas são abordadas e eventualmente corrigidas, com atenção especial para o tamanho e posicionamento das bolsas de gordura que se formam na região, assim como o excesso de pele existente.

Eventuais alterações das pálpebras como a ptose palpebral (pálpebra caída), blefarocalázio (excesso cutâneo), ectrópio (borda ciliar virada para fora) e entrópio (cílios invertidos para dentro) podem ser corrigidas durante a plástica palpebral. Para isso, técnicas cirúrgicas adicionais são empregadas.

 “O objetivo do procedimento é restaurar a região, conferindo um olhar jovial com leveza e harmonia com toda a face, e promover a preservação e melhora da função palpebral”, afirma o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena. Nos próximos posts sobre Blefaroplastia, falaremos sobre a faixa etária mais indicada para se submeter à técnica, além de cicatrizes e o pós-operatório, continue ligado(a)!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Trazemos hoje informações a respeito do processo de recuperação da Bichectomia. Entrevistamos o Dr. Vitorio Maddarena, que deu mais detalhes sobre o procedimento em si e listou algumas dicas importantes sobre cuidados durante o período pós-operatório.

Ele nos deu detalhes de como o cirurgião consegue localizar a Bola de Bichat para, posteriormente, removê-la: “Nessa cirurgia são feitas duas pequenas incisões, uma de cada lado, por dentro da bochecha, no interior da boca”. Em seguida, nos revelou como é feito o fechamento do corte e como o paciente deve lidar com ele: “Via de regra os pontos são dados com fios de sutura absorvíveis, o que significa que cairão sozinhos após cerca de 1 semana. ”

Quanto à alimentação e higiene, é importante não comer alimentos muito duros e/ou muito quentes. A higienização da boca após a alimentação também é fundamental. “Para isso, faça bochechos com antissépticos orais, ou até mesmo com água filtrada e/ou fervida”, completou o Dr. Vitorio.

A Bichectomia é uma cirurgia, portanto alguns cuidados como evitar exposição a fontes de calor e esforços nos primeiros dias também se aplicam a ela e impactam no resultado final. Se o procedimento te interessou, procure um médico especialista e agende uma avaliação. Caso haja dúvidas, não deixe de nos perguntar pelas redes sociais para que possamos ajudar a esclarecê-las.

Hoje retornamos ao tema Dermolipectomia Crural, procedimento também conhecido como Cruroplastia. Como já dissemos anteriormente, essa cirurgia é indicada para a remoção de pele excessiva das coxas em pacientes que passaram por perda significativa de peso. Como pode acontecer em outras áreas do corpo, a região interna das coxas não retorna ao seu estado anterior à obesidade, tornando-se flácida e motivo de inúmeros desconfortos.

Conversamos com o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, que nos passou informações importantes sobre o procedimento: “As anestesias mais indicadas são: anestesia geral e/ou o bloqueio espinhal (raqui ou peridural) com sedação. Independentemente da técnica anestésica o paciente permanecerá dormindo durante o procedimento. O tempo médio da cirurgia é entre duas e quatro horas”, informou o Doutor.

“Nos dias que se seguem à Cruroplastia o paciente deve ficar com as pernas elevadas sempre que estiver sentado ou deitado. Andar não é proibido, pelo contrário, é até desejável desde que com moderação. Subir e descer escadas é possível ainda na primeira semana, mas com restrições. O médico responsável deverá orientar o paciente nesse sentido. Também deve-se evitar ao máximo correr e praticar atividades físicas durante este período”, completou o especialista.

No próximo post sobre o pós-operatório da Cruroplastia daremos dicas para cuidados com as cicatrizes e prevenção à trombose, não perca!

CONTATO

Para mais informações, entre em contato conosco.