Categoria: Não Cirúrgicos

Hoje continuaremos mostrando como aplicações da Toxina Botulínica podem ser úteis além da estética. Conversamos com o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, que nos contou a respeito de uma doença que pode ter seus efeitos minimizados com aplicações regulares da substância: o Blefaroespasmo.

O Blefaroespasmo é uma doença que ataca as pálpebras e, assim como a Paralisia Facial Periférica, provoca contrações involuntárias nos músculos que ficam ao redor dos olhos. Em geral ele ocorre dos 2 lados do rosto do paciente e causa incessantes piscadas, que podem levar à cegueira funcional. “Quando detectada, a doença pode ter seus efeitos amenizados com a aplicação da Toxina Botulínica, que age diretamente nos músculos, controlando suas contrações. O ideal é que as aplicações nos pacientes com Blefaroespasmo sejam repetidas a cada 5 meses para que eles possam viver com o mínimo de desconforto possível”, explica o Dr. Vitorio Maddarena.

É importante dizermos também que, assim que a pessoa perceber contrações involuntárias constantes nas pálpebras, deve procurar um médico para ter seu diagnóstico. Após isso, ela pode buscar tratamentos como o que revelamos hoje, com aplicações locais de Toxina Botulínica. Esperamos que o assunto tenha ficado claro e que você continue nos acompanhando neste blog e nas nossas mídias sociais!

Hoje falaremos de um caso no qual a Toxina Botulínica pode atuar como agente reparador de danos faciais. Conversamos com o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, que nos falou de um distúrbio que ataca os músculos da face: a Paralisia Facial Periférica.

A Paralisia Facial Periférica é um distúrbio que pode ser causado por estresse, fadiga, queda de imunidade, vírus ou bactérias. O choque térmico, por exemplo, é encarado pelo organismo como um tipo de estresse e é mais um fator causador deste tipo de paralisia. Ele compromete o sistema imunológico e abre caminho para que algum vírus ataque o nervo facial. Seu efeito mais conhecido é a popular “boca torta”.

O vírus do herpes é o causador mais comum deste distúrbio e o faz quando provoca uma reação inflamatória no nervo facial. Tal inflamação causa no paciente dificuldades para realizar movimentos simples como mastigar, sorrir, levantar a sobrancelha, entre outras. “A Paralisia Facial Periférica, quando detectada, pode ter seus efeitos diminuídos com aplicações da Toxina Botulínica, que consegue promover o relaxamento dos músculos contraídos e amenizar os espasmos involuntários”, explica o Dr. Vitorio.

Esperamos que as informações tenham sido proveitosas e que, ao perceber algum dos sintomas citados acima, um médico seja consultado. Nos próximos dias, falaremos a respeito de uma doença que pode ter seus efeitos amenizados pela aplicação da Toxina Botulínica, fique ligado(a)!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Já dissemos, mas não custa lembrar: a pele é um órgão (o maior do corpo, por sinal) e merece atenção e cuidados especiais. Mas, é claro, por ser um órgão que fica exposto, ela sofre danos que podem e devem ser tratados. Hoje falaremos novamente sobre o Peeling, aquele tratamento não-cirúrgico realizado na pele por meio da aplicação de produtos químicos que promovem sua descamação.

No post anterior sobre Peeling Químico, citamos as manchas de sol e rugas como problemas possíveis de serem minimizados pelo procedimento e alertamos sobre os perigos do Peeling caseiro. Retomamos o assunto hoje para citar a vocês outras aplicações do Peeling. Para quem sofre com espinhas ele funciona como um tratamento complementar, inclusive agindo nas cicatrizes que elas deixam na pele. Também é uma ótima opção para quem tem problemas como poros dilatados e estrias corporais. Além disso, ele age na retomada da coloração e luminosidade naturais da pele.

Não abra mão de fazer o Peeling Químico com um médico especialista. Ele saberá, como ninguém, escolher os produtos mais adequados para o seu caso. Portanto, agende uma avaliação e tire todas as suas dúvidas sobre o procedimento. E continue acompanhando o nosso blog, sempre com informações e dicas sobre tratamentos estéticos.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Hoje vamos apresentar um procedimento não-cirúrgico muito interessante para quem busca cuidar da pele. Ele se chama Multiwaves, também conhecido como laser de baixa potência e a tecnologia que utiliza é a da luz de LED, a mesma utilizada nas lâmpadas domésticas e nos faróis de automóveis. A técnica se baseia no princípio de resposta fotobiológica, que é como nosso corpo reage quando exposto a determinados tipos de luzes.

O Dr. Vitorio Maddarena nos enviou uma explicação que, com certeza, vai tornar o assunto mais claro para você: “Cada luz age de uma forma diferente no nosso organismo. A luz solar, por exemplo, ativa a vitamina D no nosso corpo e proporciona o conhecido efeito bronzeador na pele. Já o LED do tratamento Multiwaves possui propriedades antissépticas, anti-inflamatórias e de melhora do aproveitamento do oxigênio pelas células. ”

No próximo post sobre Multiwaves vamos contar com detalhes como o LED atua nas células do nosso corpo, possibilitando os resultados esperados pelo tratamento. Abordaremos também todos os casos passíveis de serem tratados com essa técnica. Portanto, continue nos acompanhando aqui no blog e enviando suas dúvidas e sugestões pelas nossas redes sociais.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

No post anterior sobre tratamento a Laser, explicamos como as luzes atuam na pele. Citamos também a questão do rejuvenescimento que ele pode proporcionar ao estimular as fibras de colágeno, de fora pra dentro da pele. Hoje, vamos mostrar outras aplicações da técnica, como para tratar manchas e vasos sanguíneos. Os aparelhos de Laser de alta precisão operam com comprimentos de onda específicos, que atuam somente com determinadas substâncias presentes na pele.

Nossa pele possui três substâncias importantes para a interação com o Laser:

– Melanina: pigmento natural da pele, de cor acastanhada;

– Hemoglobina: pigmento vermelho, presente nos vasos sanguíneos;

– Água: incolor, presente em todas as camadas da pele.

O Laser que interage com pigmentos acastanhados é o mais indicado para tratar manchas de pele. Já o Laser ideal para tratar lesões vasculares como hemangiomas e os populares “vasinhos de pele” é o que atua sobre os pigmentos vermelhos. Por fim, as luzes que interagem com a água da pele são as responsáveis pela renovação celular.

Não se esqueça que os tratamentos a Laser têm a função de atenuar imperfeições estéticas da pele e que os resultados variam de pessoa para pessoa. Se você quer melhorar a aparência por meio desta técnica, agende uma avaliação com um médico especialista que vai definir o tipo ideal de aplicação para o seu caso.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

CONTATO

Para mais informações, entre em contato conosco.