Hoje retomamos o assunto Multiwaves iniciado aqui para contar dos benefícios desta técnica, além de explicarmos como a luz de LED pode proporcionar tais resultados. Conversamos com o Dr. Vitorio Maddarena para obtermos informações precisas de um especialista no assunto e levá-las até você.

Então vamos à palavra do especialista: “As ondas luminosas do Multiwaves estimulam a mitocôndria, que podemos chamar de pulmões das nossas células. Com a respiração celular mais eficiente, o metabolismo torna-se mais eficaz, melhorando a performance celular dos tecidos em questão. ”

O Dr. Vitorio também explica quais as indicações do procedimento: “É indicado para agilizar processos de cicatrização, auxiliar na limpeza de pele e no tratamento de acnes, estrias e queda de cabelos, entre outras aplicações. Também age como tratamento complementar quando associado ao peeling e após a microdermoabrasão. ”

Se você se interessou pelo tratamento Multiwaves, procure uma clínica especializada e agende uma avaliação com um especialista. Só ele vai poder te dizer se este tipo de técnica é a mais indicada para o seu caso. Continue nos acompanhando aqui no blog e nas redes sociais para ficar por dentro das novidades do mundo dos procedimentos estéticos!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

A Ancoragem Facial é uma técnica moderna que utiliza o Ácido Hialurônico para reequilibrar a Volumetria Facial do paciente. Antes de contarmos como funciona a técnica em si, é importante explicarmos as modificações que ocorrem no nosso rosto com o passar do tempo.

Ao longo dos anos a distribuição de volumes da face se modifica. Ocorre esvaziamento do terço médio, que comporta as maçãs do rosto, enquanto a mandíbula ganha volumes. Com isso, o formato do rosto se modifica, passando de um triângulo apontado para baixo para um retângulo. Essa modificação se deve não só à diminuição dos volumes faciais do terço médio, mas também ao descenso dos tecidos faciais, fato que desencadeia o uso de alguns grupos musculares auxiliares para tentar soerguer os tecidos da maçã do rosto, por exemplo. Isso faz com que as expressões faciais também se alterem, pois a dinâmica facial está modificada. Com a ancoragem, esse auxílio muscular não será mais necessário, fazendo com que as expressões faciais fiquem mais naturais, além, é claro, dos tecidos voltarem à posição original. O resultado é um aspecto facial rejuvenescido.

No próximo post sobre o tema, o Dr. Vitorio Maddarena explicará passo a passo o processo de aplicações do Ácido Hialurônico neste procedimento de Ancoragem Facial. Fique ligado(a)!

Hoje voltamos a tratar do pós-operatório da Abdominoplastia. Vamos aproveitar o assunto para esclarecer dúvidas recorrentes sobre a realização deste procedimento cuja procura nas clínicas de cirurgia plástica não para de crescer.

Reunimos dúvidas comuns sobre a recuperação da Abdominoplastia e consultamos o Dr. Vitorio Maddarena para trazermos as respostas até vocês. Sobre drenos, o Dr. disse: “em alguns casos faz-se necessário o uso de drenos logo após a cirurgia. Eles servem para remover o excesso de líquidos que se acumulam durante o processo de cicatrização, ajudam na prevenção de infecções e tornam a recuperação mais rápida. Entre 2 e 10 dias eles já podem ser retirados pelo médico especialista, sendo que a média é de 3 dias. ”

O Dr. Vitorio também falou a respeito de curativos e higienização: “é fundamental que o paciente permaneça com os curativos e que sua troca seja realizada 2 vezes por semana, no consultório. Nesta ocasião o médico também irá avaliar a evolução da recuperação. Quanto à limpeza, assim que os curativos forem retirados deve-se lavar o local com água e sabão, normalmente. ”

Continuem nos mandando suas dúvidas e sugestões para que possamos trazer explicações com embasamento médico. No próximo post sobre o tema, falaremos o que é mito e o que é verdade na relação entre Abdominoplastia e gestação. Fique ligado(a)!

Nossa pauta de hoje é a Ginecomastia. Ela consiste na redução de mama para o homem por procedimento cirúrgico específico. É importante que se diga que o homem também tem glândula mamária, inclusive com a possibilidade de desenvolver câncer de mama. Em alguns casos o aumento desta glândula pode vir acompanhado de acréscimo de tecido gorduroso na região.

O Dr. Vitorio Maddarena explica que esse aumento pode ser decorrente de alterações hormonais, as quais devem ser avaliadas por meio de exames, ou determinadas por características hereditárias (genética).

“Se houver alterações hormonais, estas devem ser tratadas e em seguida faz-se a correção cirúrgica, na qual a glândula mamária é removida”, diz o Doutor. Ele afirma também que deve-se tomar cuidado especial para não retirar em excesso e provocar, assim, uma depressão (concavidade) no local. “Nos casos em que há excesso de gordura (lipodistrofia) é necessário fazer lipoaspiração na região, para corrigir”, completa o Doutor.

Recomendamos que o homem que sofre com o excesso de mama procure um médico especialista, agende uma avaliação individualizada e então decida se irá se submeter ao procedimento. No próximo post sobre o tema, contaremos como se dá a recuperação da Ginecomastia, fique ligado!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

O mês de outubro já acabou, mas a mensagem de prevenção ao câncer de mama que a campanha Outubro Rosa propaga deve permanecer durante todo o ano. O autoexame é essencial para que a mulher possa detectar em casa possíveis nódulos no seio e, assim, buscar auxílio médico para verificar se não se tratam de tumores. Quanto mais cedo for o diagnóstico, maiores são as chances de cura. Em alguns casos se faz necessária a retirada da mama.

Se, por um lado, a remoção do seio permite evitar que o tumor cresça e/ou se espalhe pelo resto do corpo da paciente, por outro, ela acaba por afetar a autoestima da mulher por razões estéticas. Visando solucionar esse problema, a Medicina desenvolveu técnicas de reconstrução mamária. “Pode-se dizer que a Reconstrução Mamária é uma subespecialidade da Cirurgia Plástica que atua para restaurar a forma, o volume, o contorno e a simetria das mamas comprometidas por deformidades congênitas ou adquiridas”, afirma o Dr. Vitorio Maddarena. Um exemplo de deformidade adquirida é exatamente a causada pelo câncer de mama.

No próximo post sobre o tema falaremos de como a técnica de reconstrução é aplicada, além do momento ideal para que a cirurgia seja feita. Mas o recado que gostaríamos de deixar é que o autoexame nas mamas seja realmente um hábito em sua vida. Um hábito saudável, de prevenção e para ser feito em todas as épocas do ano.

CONTATO

Para mais informações, entre em contato conosco.