Tag: "recuperação"

Trazemos hoje informações a respeito do processo de recuperação da Bichectomia. Entrevistamos o Dr. Vitorio Maddarena, que deu mais detalhes sobre o procedimento em si e listou algumas dicas importantes sobre cuidados durante o período pós-operatório.

Ele nos deu detalhes de como o cirurgião consegue localizar a Bola de Bichat para, posteriormente, removê-la: “Nessa cirurgia são feitas duas pequenas incisões, uma de cada lado, por dentro da bochecha, no interior da boca”. Em seguida, nos revelou como é feito o fechamento do corte e como o paciente deve lidar com ele: “Via de regra os pontos são dados com fios de sutura absorvíveis, o que significa que cairão sozinhos após cerca de 1 semana. ”

Quanto à alimentação e higiene, é importante não comer alimentos muito duros e/ou muito quentes. A higienização da boca após a alimentação também é fundamental. “Para isso, faça bochechos com antissépticos orais, ou até mesmo com água filtrada e/ou fervida”, completou o Dr. Vitorio.

A Bichectomia é uma cirurgia, portanto alguns cuidados como evitar exposição a fontes de calor e esforços nos primeiros dias também se aplicam a ela e impactam no resultado final. Se o procedimento te interessou, procure um médico especialista e agende uma avaliação. Caso haja dúvidas, não deixe de nos perguntar pelas redes sociais para que possamos ajudar a esclarecê-las.

Hoje retornamos ao tema Dermolipectomia Crural, procedimento também conhecido como Cruroplastia. Como já dissemos anteriormente, essa cirurgia é indicada para a remoção de pele excessiva das coxas em pacientes que passaram por perda significativa de peso. Como pode acontecer em outras áreas do corpo, a região interna das coxas não retorna ao seu estado anterior à obesidade, tornando-se flácida e motivo de inúmeros desconfortos.

Conversamos com o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, que nos passou informações importantes sobre o procedimento: “As anestesias mais indicadas são: anestesia geral e/ou o bloqueio espinhal (raqui ou peridural) com sedação. Independentemente da técnica anestésica o paciente permanecerá dormindo durante o procedimento. O tempo médio da cirurgia é entre duas e quatro horas”, informou o Doutor.

“Nos dias que se seguem à Cruroplastia o paciente deve ficar com as pernas elevadas sempre que estiver sentado ou deitado. Andar não é proibido, pelo contrário, é até desejável desde que com moderação. Subir e descer escadas é possível ainda na primeira semana, mas com restrições. O médico responsável deverá orientar o paciente nesse sentido. Também deve-se evitar ao máximo correr e praticar atividades físicas durante este período”, completou o especialista.

No próximo post sobre o pós-operatório da Cruroplastia daremos dicas para cuidados com as cicatrizes e prevenção à trombose, não perca!

Dissemos no post anterior a respeito do pós-operatório da Rinoplastia que ainda havia muitas informações para serem compartilhadas neste blog. Sendo assim, hoje voltamos a este assunto para falarmos de algumas restrições ao paciente recém submetido à cirurgia do nariz.

O repouso é muito importante após todo procedimento cirúrgico. No caso da Rinoplastia, isto não é diferente. A partir do quarto dia, o paciente já começa a se sentir mais à vontade e disposto para realizar as atividades mais suaves do cotidiano.

O retorno ao trabalho já demanda mais alguns dias, até por conta dos pontos e do curativo com tala que é colocado após a cirurgia. O profissional responsável pela cirurgia vai definir de acordo com o caso do paciente uma data razoável para que esse retorno ocorra.

Para as atividades físicas, deve-se ter um pouco mais de paciência. Caminhadas leves, por exemplo, só são indicadas para pacientes com mais de um mês de cirurgia. Práticas mais pesadas, como musculação, devem esperar um pouco mais: de dois a três meses. Já no caso de atividades com risco de trauma, como lutas, esportes com bola e até a dança, deve-se consultar o médico para que ele avalie o período ideal para o retorno.

A utilização de óculos também deve ser retomada cerca de um mês após a cirurgia do nariz, já que um dos apoios deles é exatamente a região envolvida no procedimento.

Toda a paciência e cuidados neste período delicado são fundamentais para que os resultados esperados sejam alcançados. Caso ainda haja dúvidas sobre o período pós-operatório da Rinoplastia, envie-nos pelas nossas redes sociais!

Voltamos hoje a um assunto tratado há pouco tempo aqui no blog: a Dermolipectomia Braquial, procedimento cirúrgico específico para a região localizada abaixo dos braços. Essa cirurgia promove a melhoria dos contornos da região por meio da remoção de pele sobressalente, geralmente após perda de peso excessiva do paciente. Combinada com a Lipoescultura, a técnica consegue eliminar depósitos de gordura da região braquial e trazer resultados satisfatórios aos pacientes submetidos a ela. Hoje falaremos a respeito do processo de recuperação da Dermolipectomia Braquial.

Para trazermos informações referentes a cicatrizes e ao processo pós-operatório deste procedimento, falamos com o Dr. Vitorio Maddarena. O cirurgião plástico pode falar com propriedade do assunto: “Cicatrizes são consequências inevitáveis de qualquer cirurgia, porém, no caso da Dermolipectomia Braquial, elas ficam estrategicamente colocadas na parte interna do braço, de modo a ficarem pouco aparentes. Apesar de falarmos de uma cicatriz que vai do cotovelo até a axila, a região onde ela fica acaba a tornando naturalmente discreta. A respeito da recuperação após o procedimento, recomendamos que o paciente seja ajudado em tarefas básicas apenas na primeira semana e que evite levantar os braços acima dos ombros. Depois, é só evitar grandes esforços nas semanas seguintes e passar por acompanhamento médico para retirada de pontos, drenagem linfática e troca de curativos.”

A Dermolipectomia também pode ser feita na região das coxas, mas trataremos desta técnica num post futuro. Portanto, continue nos acompanhando aqui no blog e nas mídias sociais!

Hoje faremos uma breve introdução ao assunto recuperação da Rinoplastia. Já abordamos em outros posts sobre a cirurgia do nariz as questões que envolvem correções estéticas, funcionais e de estrutura. Agora vamos falar de alguns pontos comuns aos pacientes que se submetem a este procedimento.

Começamos, então, com os curativos. O primeiro é feito pela equipe médica utilizando esparadrapos e uma pequena tala. Ainda na primeira semana o paciente deve retornar ao consultório para passar por uma avaliação pós-cirúrgica. Se tudo estiver dentro do esperado pelo especialista, o curativo é substituído por um mais simples, que deve ser mantido por mais alguns dias.

Alguns sintomas são comuns nos dias seguintes à Rinoplastia: pequenos sangramentos em forma de gotejamento, congestão nasal com certa dificuldade de respiração, diminuição de olfato, dormência na ponta do nariz e inchaço tanto no nariz quanto no lábio superior. Para cada um desses sintomas, há um tempo médio diferente de regressão, que será estipulado pela equipe médica responsável pela cirurgia.

É importante que o paciente siga todas as recomendações do seu médico e que entre em contato com ele caso perceba alguma alteração dentre os sintomas acima. Ainda temos muitas informações para compartilhar com vocês, leitores, a respeito da recuperação da Rinoplastia. Portanto, continuem nos acompanhando por aqui e em nossas mídias sociais.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

CONTATO

Para mais informações, entre em contato conosco.