fbpx

Estamos no mês que promove a conscientização sobre a prevenção do câncer de mama. No ano passado, falamos sobre como o implante de silicone não atrapalha em nada a rotina de exames de prevenção. Neste ano, vamos tirar dúvidas sobre a cirurgia plástica reparadora, que devolve a autoestima a mulheres que venceram a batalha contra o câncer de mama e que desejam ter de volta seus contornos como antes do tratamento. 

 

Toda mulher que tem câncer de mama precisa remover o seio afetado?

Não, mas é uma intervenção comum. O objetivo é tirar o máximo possível do tumor, inclusive com uma margem de segurança. Assim, o volume de fato removido varia de acordo com o estágio em que a doença se encontra. É possível que seja retirado apenas um pequeno volume da mama, porções maiores ou ela inteira. 

O importante é saber que essa cirurgia, quando necessária, é uma fase importante do tratamento e deve ser vista como aliada da saúde. Os impactos na imagem da paciente e em sua autoestima são passageiros e, em breve, a mulher poderá ter suas curvas de volta, com saúde e bem-estar.

 

Quando fazer a cirurgia plástica reparadora?

É preciso que a paciente esteja completamente curada e com sua imunidade restaurada. O oncologista vai avaliar a mulher e dizer se ela já está apta à cirurgia plástica reparadora. Esse passo é muito importante para evitar riscos desnecessários, como infecções. 

Há hoje a tendência é, sempre que possível, fazer a reconstrução imediata. Ou seja, na mesma cirurgia em que o tumor é retirado, já é feita a reconstrução.

 

Como a cirurgia é feita?

Já falamos por aqui que uma mama nunca é idêntica à outra. Assim, no momento da reconstrução, o cirurgião plástico deve entender as características únicas da paciente para determinar o tamanho e o formato corretos do implante. Pode ser indicado, inclusive, trabalhar a outra mama que não foi afetada pelo tumor. Isso serve para conferir um resultado mais harmônico e – por que não? – aproveitar e dar um up completo no visual. 

 

Silicone aumenta os riscos de volta da doença?

Não. A cirurgia de reconstituição mamária e o silicone não aumentam o risco de recidiva da doença. A existência do implante também não impede a detecção de novos tumores e nem o correto tratamento. 

 

Como é a relação com o cirurgião plástico?

As mulheres curadas que desejam fazer a reconstrução mamária devem conversar abertamente com o cirurgião plástico sobre suas dúvidas e medos. É comum que tenham receio de que o silicone cause a volta da doença ou que simplesmente não queiram se submeter a mais cirurgias depois do tratamento contra o câncer. Essas preocupações são normais e cabe ao médico dar todas as informações para uma decisão segura e informada. Confiança é essencial em toda relação médico-paciente.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

O verão está batendo à nossa porta e nada melhor do que se preparar com o que há de mais moderno e completo. 

A técnica queridinha do momento é o coolsculpting, que elimina a gordura localizada sem cirurgia. Ele resfria a área a ser tratada, cristalizando os adipócitos. Nas semanas seguintes, o corpo elimina gradualmente a gordura. É um procedimento não-cirúrgico, indolor e que apresenta resultados já na primeira sessão. 

Nós da Clínica Maddarena temos orgulho de sermos reconhecidos pelo alto nível de capacitação de nossos funcionários, que usam tecnologia de ponta para realçar a beleza do corpo e do rosto.

Para ajudar nos preparativos para a estação mais quente do ano, em outubro preparamos condições especiais para quem quer dar tchau para aquela gordurinha persistente indesejada.

E mais notícias boas: em outubro também estamos com condições especiais para os tratamentos combinados favoritos de nossos profissionais. Veja:

promoção criolipóolise

Entre em contato conosco para agendar uma avaliação e conhecer melhor todas as nossas opções de tratamento. 

(11) 5521-1007

(11) 98107-6471

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Quando o assunto é modelar o corpo e acabar com a gordura localizada, a famosa “lipo” sempre vem à tona. Mas qual a diferença entre lipoaspiração e lipoescultura? Qual solução é indicada para cada caso? Entenda as peculiaridades com a gente!

 

Lipoaspiração

Com uma cânula, o médico aspira a gordura localizada em áreas como abdome, barriga, costas, axilas e culote. Mas atenção: lipoaspiração não é um procedimento para emagrecer! Ela é recomendada para quem está no peso ideal ou muito próximo dele, já que não se recomenda tirar mais de 5% da massa corporal. 

A cicatriz é discreta e em lugares mais escondidos, como dobrinhas da pele e sulcos do corpo. 

O pós-operatório requer o uso de cinta modeladora e sessões periódicas de drenagem linfática. Com o passar dos meses, o paciente desincha e corpo vai tomando seu formato final. É possível que a pele não retraia completamente e o excesso pode ser removido com uma cirurgia plástica complementar. 

 

Lipoescultura

É a junção da lipoaspiração com aplicações de gordura de forma estratégica, para modelar o corpo. O médico pode indicá-la a pacientes que desejam reduzir medidas em uma região e aumentar em outras. Mas, mais do que colocar gordura em outro local, lipoescultura é a maneira como a gordura localizada é retirada. 

Do mesmo modo que um escultor retira os excessos do mármore para mostrar as formas “escondidas” no seu interior, na lipescultura mostra-se a real silhueta encoberta pelas áreas de lipodistrofia, ou gordura localizada. A lipoenxertia – método em que o médico transfere células de gordura para outras regiões – é também utilizada na lipoescultura para complementar e otimizar o resultado. Ou seja, a lipoescultura pode ser feita isoladamente com a lipoaspiração, ou combinada com a lipoenxertia. Uma vez transferidas, nem todas as células sobreviverão no local. Existe uma taxa de reabsorção que pode ser alta, com pouco ou nenhum resultado. Há, no entanto, algumas técnicas que aumentam a taxa de sobrevida das células transferidas, mas não há como garantir a taxa de eficácia. Por outro lado, quando integradas na região, ficarão para sempre.

A técnica também pode ser usada para preencher regiões menores ou que precisam de correções mais delicadas, como rosto, bigode chinês, mãos e ajustes de pequenas simetrias.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Temido por muitas mulheres, o culote é o acúmulo de gordura na região lateral das coxas. Ele pode ser aumentado por vários fatores, como predisposição genética, má alimentação e sedentarismo. 

Entenda com a gente como reduzir medidas na região!

 

1. Exercícios físicos

Não tem escapatória: colocar o corpo para mexer é a solução para muitos problemas, não só o culote. Uma vida ativa acelera o metabolismo, que ajuda na queima de gorduras do corpo todo. Exercícios específicos também podem ajudar a tonificar a região das pernas. Mas os benefícios não são só os imediatos: quem se exercita vive mais, melhor e reduz o risco de doenças graves. 

 

2. Alimentação

A boa alimentação também é um investimento para a vida toda. Dietas com quantidades reduzidas de açúcares e carboidratos ajudam a prevenir o acúmulo de gordura no culote e em outras áreas do corpo, inclusive no coração. Se você tem dúvidas sobre alimentação ou dificuldade em seguir um cardápio adequado, converse com um bom nutricionista. 

 

3. Coolsculpting

Uma das soluções mais modernas na redução de medidas, o coolsculpting congela a área do culote, fazendo com que, nas semanas seguintes, o corpo elimine gradualmente a gordura localizada. É um procedimento não-cirúrgico, indolor e que apresenta resultados já a primeira sessão. 

A técnica também pode ser usada em muitas outras regiões do corpo, como barriga, braços e papada. Saiba mais aqui.

 

4. Modelle

É possível associar diversas técnicas para atingir melhores resultados. O modelle é uma dessas estratégias. Juntando massagem modeladora com ultrassom, ele pode ser usado para reduzir celulite e medidas no culote. A massagem é feita com movimentos rítmicos e vigorosos, e são utilizados produtos com princípios que aumentam o fluxo sanguíneo. Assim, melhora-se a circulação e proporciona-se efeitos drenantes. O ultrassom é uma excelente alternativa para atenuar a celulite, por responder bem na quebra de moléculas que incham as células.

 

5. Cirurgia plástica

A lipoaspiração é uma ótima opção para casos persistentes de gordura localizada. Também pode ser feita uma lipoenxertia, técnica que tira gordura de uma região e coloca em outra no mesmo paciente, como nos glúteos. Em poucas semanas o paciente já está apto a retomar suas atividades habituais. Converse com um cirurgião plástico para entender melhor se a lipoaspiração é indicada para o seu quadro e lembre-se: cirurgia plástica só com cirurgião plástico!

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Na semana passada falamos sobre o envelhecimento das mãos e como elas são facilmente  esquecidas na rotina de cuidados diários com a pele. O pescoço é outra região que, mesmo próxima ao rosto, nem sempre conta com a mesma atenção. Entenda com a gente por que é preciso mudar isso e saiba como é simples dar atenção a essa área que merece nosso carinho. 

 

A pele do pescoço é igual à do rosto?

Não. Ela tem menos glândulas sebáceas (já reparou como temos bem menos acne na região?) e, por isso, tem menor poder de hidratação, podendo ficar ressecada mais facilmente. Além disso, é um pouco mais fina do que as principais regiões do rosto, se assemelhando à área do contorno dos olhos.

 

Que tipo de cosméticos usar?

A pele do pescoço, mesmo sendo um pouco diferente da do rosto, responde muito bem à maioria dos cosméticos formulados para a face. Mas não se esqueça: por ser mais fina, produtos com fórmulas especiais — como os ácidos — podem machucar a região. Por isso, é importante se consultar periodicamente com um dermatologista para entender as melhores soluções para cada caso. 

 

Como tratar manchas no pescoço?

Por ser uma região sensível, constantemente exposta ao sol e nem tão lembrada nos cuidados diários, com o tempo a pele do pescoço pode começar a apresentar manchas. Nesses casos, um médico dermatologista deve ser consultado para, antes de tudo, avaliar a pele e descartar a possibilidade de lesões mais graves. Há diversos tratamentos eficazes, como peelings, laser e aplicação de ácidos especialmente formulados para áreas sensíveis.  

 

E como acabar com a papada? 

A medicina conta com várias soluções para a temida papada, que é a flacidez e o excesso de pele na região do pescoço. Dependendo das características e do histórico de cada paciente, é possível lançar mão de soluções mais ou menos invasivas. Uma novidade recente é o coolsculpting, técnica que cristaliza as células de gordura e faz com que sejam eliminadas gradualmente pelo organismo

Também é possível estimular a produção de colágeno da região para melhorar o tônus da pele e o contorno em geral. 

Em casos em que a papada é mais evidente e persistente, como quando a pessoa perde muito peso, a cirurgia plástica é uma ótima aliada. O médico usa técnicas como lifting e lipoaspiração, melhorando o contorno do rosto e o perfil do paciente.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.