Hoje daremos continuidade às pautas sobre estética com um tema que desperta interesse de muita gente: a flacidez. Iniciamos revelando que existem dois tipos de flacidez: a muscular e a tissular. Tanto uma quanto a outra podem ocorrer devido a fatores genéticos ou causas naturais, como obesidade, exposição ao sol, tabagismo, distúrbios hormonais, gestação, entre outras. Para explicar melhor o assunto recorremos à Luciana Porto, coordenadora de tratamentos estéticos da Clínica Maddarena.

“A flacidez da musculatura é a que ocorre devido à perda do tônus muscular. Ela se deve ao sedentarismo total, falta de exercício físico específico para determinado grupo muscular e/ou alimentação inadequada”, explica Luciana. Já a flacidez tissular é a que ocorre na pele e afeta sua firmeza: “essa ocorre pela perda de elementos teciduais, como colágeno, elastina e fibroblastos. A consequência desse tipo de flacidez é um aspecto envelhecido e caído da pele afetada”, completa a especialista.

É importante adiantarmos que ambos os casos podem ter seus efeitos reduzidos por meio da prática de exercícios físicos, tratamentos estéticos, hidratação e alimentação adequados. Falaremos mais sobre isso no próximo texto sobre flacidez, fique ligado(a)!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Já tratamos aqui do processo de cicatrização. Hoje, nossa proposta é levar a você, leitor(a), informações sobre como cuidar das cicatrizes. Para isso, conversamos com o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, que listou logo abaixo alguns cuidados importantes em cada fase do processo:

– Fase inicial: Neste momento é importante manter o local de cicatrização sempre muito limpo, lavando com água e sabonete comum e sempre enxaguando bem. Evite antissépticos e bactericidas, pois do mesmo modo que matam as bactérias, também matam as células de cicatrização;

– Fase intermediária: A crosta (casquinha da ferida) funciona como um curativo biológico. Não a remova, a não ser quando orientado de forma diferente pelo seu médico. Eventualmente crostas muito espessas podem dificultar o progresso da cicatrização, que sempre ocorre da periferia para o centro. Cremes hidratantes ou pomadas podem ser usados, mas desde que sob orientação médica;

– Fase de maturação: Nessa fase é preciso evitar exposição à luz solar, pois isso pode fazer a cicatriz ficar hipercrômica (escura). É também este o momento de ajudar no alinhamento das fibras de colágeno. Massageie a cicatriz no sentido longitudinal, usando para isso um creme ou óleo hidratante – converse com seu médico, que também vai te dizer o número de repetições que essas massagens devem ter por dia e durante quantos meses serão necessárias.

Esperamos que você tenha gostado das dicas do Dr. Vitorio e que siga nos acompanhando aqui no blog e também nas redes sociais!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

O objetivo deste post é apresentar a você, leitor(a), opções de tratamentos para celulites. Já explicamos como elas se formam e como a drenagem linfática pode melhorar sua aparência. Hoje falaremos de dois tratamentos modernos contra esse problema tão comum: o Max Redux e o Venus Freeze.

Para explicarmos melhor como cada um deles funciona, conversamos com a Luciana, coordenadora de tratamentos estéticos da Clínica Maddarena. Luciana nos contou como o Max Redux age para minimizar as consequências das celulites: “Essa técnica associa massagem modeladora com ultrassom. A massagem é feita com movimentos rítmicos e vigorosos e são utilizados produtos que aumentam o fluxo sanguíneo, melhoram a circulação e têm efeitos drenantes. Já o ultrassom tem excelente resposta na quebra de moléculas que incham as células e agravam o quadro da celulite”.

Realizado em duas etapas, o Max Redux estimula a termogênese (moderado aquecimento) e a crioterapia (resfriamento tecidual). “Essas duas técnicas estimulam o organismo a buscar manter sua temperatura normal promovendo assim um aceleramento no metabolismo local”, afirma Luciana. A especialista completa a explicação dizendo que na última etapa do tratamento utiliza-se uma cinta que emite luzes infravermelhas e possui vibração para potencializar os resultados.

Já o Venus Freeze é um tratamento que usa um aparelho que combina pulsos magnéticos com radiofrequência multipolar, promovendo leve aquecimento. Essa elevação de temperatura aumenta a síntese de colágeno e elastina. “Este tratamento é indicado para atenuar as ondulações causadas pelas celulites, além de ser ótimo contra o envelhecimento e a flacidez da pele”, completa Luciana.

Caso haja alguma dúvida sobre celulites e seus tratamentos, não deixe de nos enviar pelas nossas redes sociais.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

O texto de hoje é a respeito da recuperação da Abdominoplastia. Ele serve principalmente para quem tem dúvidas sobre como agir após se submeter a este procedimento. O Dr. Vitorio traz alguns cuidados gerais que o paciente precisa tomar para ter uma recuperação adequada, vamos a eles:

1. Na Abdominoplastia, os músculos da parede abdominal são reposicionados por meio de suturas internas. Deve-se evitar esforços para que eles não se rompam. Também é importante andar e deitar-se com o corpo curvado, a fim de evitar tração excessiva na linha de sutura;

2. Ao deitar-se, há duas opções: de lado, com os joelhos dobrados ou de barriga para cima, com as costas e as pernas elevadas, de tal forma que a região do quadril fique fletida (dobrada);

3. Não deitar de barriga para baixo, nem se espreguiçar;

4. Usar constantemente o modelador ou cinta indicado pelo médico;

5. Deve-se evitar exposição a fontes de calor, como fogão, ferro de passar, churrasqueira, aquecedores, etc. Também não é recomendável se expor à luz do sol, porque pode provocar manchas de difícil remoção.  Isso vale para qualquer cirurgia.

Nos próximos posts sobre Abdominoplastia, traremos mais dicas sobre o processo de recuperação. Não queremos que você tenha medo nem que reste qualquer dúvida sobre esse procedimento que pode melhorar sua saúde e sua autoestima. Continue nos acompanhando no blog e nas redes sociais!

Hoje falaremos de marcas tão visíveis na pele quanto temíveis por homens e mulheres: as estrias. Tecnicamente, elas são consideradas cicatrizes que se formam pelo rompimento das fibras de colágeno. Tais fibras são responsáveis pela elasticidade e rigidez da pele.

Assim como fizemos para levar até você informações a respeito das celulites, conversamos com a Luciana Porto, coordenadora de tratamentos estéticos da Clínica Maddarena, que contou com detalhes como essa ruptura de fibras acontece no corpo. Ela começou explicando o popular “efeito-sanfona”: “quando a pessoa tem uma mudança expressiva de medidas, seja em casos de gestação, ganho ou perda de peso ou hipertrofia muscular a pele sofre um estiramento muito rápido e suas fibras de colágeno se quebram. “

Luciana também falou a respeito dos diferentes tipos de estrias e suas causas: “as chamadas estrias rubras têm aspecto avermelhado pois ali ainda há vascularização adequada. Se forem tratadas nesse primeiro momento, de forma rápida, podem desaparecer, afinal os vasos sanguíneos carregam os nutrientes necessários para regenerar as fibras rompidas. Porém, se não for realizado nenhum tipo de tratamento, elas evoluem para o que chamamos de estrias albas. Essas já possuem aspecto esbranquiçado e são mais profundas, sem qualquer vascularização, o que dificulta o tratamento. “

Voltaremos em breve a falar sobre as estrias e seus tratamentos, inclusive para as albas, que só conseguem ser recuperadas parcialmente por meio de técnicas especiais. Continue nos acompanhando e envie suas dúvidas pelas nossas mídias sociais!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

CONTATO

Para mais informações, entre em contato conosco.