fbpx

Hoje faremos uma breve introdução ao assunto recuperação da Rinoplastia. Já abordamos em outros posts sobre a cirurgia do nariz as questões que envolvem correções estéticas, funcionais e de estrutura. Agora vamos falar de alguns pontos comuns aos pacientes que se submetem a este procedimento.

Começamos, então, com os curativos. O primeiro é feito pela equipe médica utilizando esparadrapos e uma pequena tala. Ainda na primeira semana o paciente deve retornar ao consultório para passar por uma avaliação pós-cirúrgica. Se tudo estiver dentro do esperado pelo especialista, o curativo é substituído por um mais simples, que deve ser mantido por mais alguns dias.

Alguns sintomas são comuns nos dias seguintes à Rinoplastia: pequenos sangramentos em forma de gotejamento, congestão nasal com certa dificuldade de respiração, diminuição de olfato, dormência na ponta do nariz e inchaço tanto no nariz quanto no lábio superior. Para cada um desses sintomas, há um tempo médio diferente de regressão, que será estipulado pela equipe médica responsável pela cirurgia.

É importante que o paciente siga todas as recomendações do seu médico e que entre em contato com ele caso perceba alguma alteração dentre os sintomas acima. Ainda temos muitas informações para compartilhar com vocês, leitores, a respeito da recuperação da Rinoplastia. Portanto, continuem nos acompanhando por aqui e em nossas mídias sociais.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Hoje falaremos de uma disfunção que atinge boa parte da população: a Hiperidrose. Talvez você nunca tenha ouvido essa palavra na vida, mas com certeza conhece ou inclusive sofre dessa condição na qual uma ou mais áreas do corpo apresentam sudorese excessiva. Ela pode causar constrangimento e desconforto nos meios social, corporativo e familiar. Antes de contarmos como tratar a Hiperidrose, é necessário explicarmos como o suor se forma.

“Há dois tipos de glândulas de suor. Uma delas atua para ajudar no controle da temperatura corporal, sendo estimulada pelo calor. O outro tipo, associado à ansiedade, é um resquício do processo evolutivo do ser humano. Há muitos anos, na época das cavernas, o aumento de suor auxiliava os seres humanos. Isso porque ele aumentava o poder de apreensão das mãos (molhamos os dedos para virar as páginas ou contar dinheiro), preparando a pessoa para fugir ou lutar com seu possível predador”, explica o Dr. Vitorio Maddarena. Essa sudorese causada pela ansiedade é o foco do tratamento que vamos apresentar.

A Toxina Botulínica pode ser usada para o tratamento da Hiperidrose. São feitos múltiplos pontos de aplicação na área em que o suor é mais intenso, como nas axilas. Em alguns casos utiliza-se o teste do amido e iodo para determinar o local de concentração das glândulas sudoríparas e então fazem-se aplicações de mini doses da substância na área toda. A ação é diminuir a capacidade de produção e eliminação do suor. Os resultados são positivos a curto prazo, porém a Toxina Botulínica tem prazo de validade no organismo e deve ser reaplicada de 2 a 3 vezes por ano.

No próximo post sobre Hiperidrose apresentaremos uma técnica cirúrgica capaz de acabar com o problema de forma definitiva, não perca!

O procedimento cirúrgico para a remodelação do queixo chama-se Mentoplastia. É sobre ela que trataremos no post de hoje. Ela pode ser realizada em conjunto com a Rinoplastia com o objetivo de se obter melhorias no contorno facial.

Algumas pessoas possuem o chamado “perfil convexo” do rosto, que ocorre quando o queixo se encontra recuado em relação ao nariz. Para melhorar a harmonia da face, pode-se aumentar o volume do queixo com implantes e, assim, projetá-lo para a frente.

O Dr. Vitorio, cirurgião plástico e diretor da Clínica Maddarena, pode explicar melhor sobre os materiais desses implantes e os métodos de inclusão: “Para o queixo temos implantes de silicone ou porex (polipropileno poroso) de diferentes tamanhos e modelos, escolhidos de acordo com a necessidade de cada paciente e definidos durante avaliação pré-operatória. Eles podem ser incluídos de duas formas: por meio de corte por dentro da boca, próximo à gengiva, ou por baixo do queixo, com incisão de cerca de 2,5cm. A vantagem da primeira opção para o paciente é a inexistência de cicatriz aparente. ”

As recomendações para o pós-operatório são: evitar alimentos muito quentes ou duros na semana posterior ao procedimento e higienizar bem a boca. Não há restrições quanto à fala. Voltaremos em breve a falar sobre a Mentoplastia mas, caso haja alguma dúvida, não deixe de nos enviar pelas nossas mídias sociais.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Se você era daquela parcela de alunos que olhava para fórmulas químicas e se perguntava se um dia alguma delas seria útil pra você, o post de hoje é em sua homenagem. Falaremos da fórmula molecular (C14H21NO11)n, o Ácido Hialurônico. Ele é uma substância que nosso organismo usa para a síntese da malha de colágeno e é também um dos componentes da membrana das nossas células. Outra função deste ácido é ajudar no transporte de moléculas de água entre os tecidos.

Com o passar do tempo, a quebra das fibras de colágeno no organismo causa o aparecimento de rugas e marcas de expressão. Para suprir essa demanda, a Ciência desenvolveu em laboratório o Ácido Hialurônico, uma substância que atua dando suporte a esta teia de fibras. Sua versatilidade pode ser benéfica no tratamento dos temidos “pés-de-galinha”, rugas no nariz e entre as sobrancelhas e até olheiras.

O Dr. Vitorio Maddarena pode explicar isso um pouco melhor: “Obtido de origem não animal, a configuração molecular do Ácido Hialurônico, com tecnologia cross-link, faz com que se torne estável em nosso organismo e que dure cerca de 12 meses. Pode ser usado para fazer preenchimentos, corrigindo a falta de volume em concavidades, rugas e sulcos, e também em técnicas sofisticadas como a Ancoragem Facial. ”

Viu só como essa fórmula química pode ser muito útil para a saúde e beleza da nossa pele? Então fique ligado(a) porque em breve voltaremos a falar desse assunto, mais precisamente da técnica de Ancoragem Facial, citada pelo Dr. Vitorio no post de hoje.

A cirurgia da bochecha é um assunto que já foi abordado neste blog em duas oportunidades: quando explicamos como funciona o procedimento de Bichectomia e quando demos dicas sobre cuidados no seu pós-operatório.

Mas você já deve ter lido ou escutado a respeito desta cirurgia em outros veículos de comunicação, afinal trata-se de uma técnica que ganha cada vez mais adeptos, inclusive celebridades. Nesse sentido, a Revista Istoé procurou especialistas em Cirurgia Plástica para falarem sobre a Bichectomia e o Dr. Vitorio Maddarena foi um dos entrevistados.

Perguntado sobre a função da Bola de Bichat, excesso de gordura que é retirado da região da bochecha neste procedimento, o Dr. Vitorio foi muito claro: “Servem como coxins entre os músculos para aumentar o poder de sucção. ” Ele concluiu a explicação dizendo que essas bolsas de gordura são maiores nos bebês e que diminuem com o tempo. Porém, para algumas pessoas, essa redução não é tão considerável e pode gerar certa insatisfação.

Outros especialistas que participaram da reportagem disseram que a Bichectomia é indicada para pessoas que não estejam acima de seu peso ideal. Isso porque o sobrepeso geralmente vem acompanhado do arredondamento da face.

Leia a matéria completa da Istoé sobre Bichectomia e, caso haja dúvidas, não deixe de enviá-las por meio de nossas mídias sociais.

VEJA MAIS POSTS SOBRE
×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.