fbpx

Acne é uma doença de pele extremamente comum, que pode afetar tanto adolescentes quanto adultos. Trata-se de uma inflamação das glândulas sebáceas e dos folículos pilossebáceos.

Essa inflamação pode ocorrer por alterações hormonais. É por isso que as populares espinhas são mais associadas à puberdade e aos anos de adolescência: quando o organismo humano é um caldeirão hormonal em ebulição.

Mas as acnes podem também aparecer em outras fases da vida. A gravidez, por exemplo, é um momento em que a mulher está mais suscetível a mudanças e adaptações, com um manancial intenso de cargas hormonais. Um ritmo de vida estressante e a ingestão de alguns alimentos e de medicamentos também podem desencadear a doença.

E lembre-se: cuidar da acne é mais fácil do que tratar suas cicatrizes. O segredo é agir rápido.

 

Os quatro graus da acne

Tecnicamente, há quatro graus de acne. A chamada comedoniana é a mais comum. Geralmente se manifesta pelos cravos (pontos negros ou claros), sobretudo no nariz, na testa e nas bochechas.

O grau dois é a denominada acne papulo pustulosa. As pápulas são as bolinhas vermelhas que se formam na pele – as famosas espinhas. Neste nível também é comum o acúmulo de pontos de pus. Muitas vezes, a pessoa sente dor. Em alguns casos, é a evolução do grau um não tratado corretamente.

O nível seguinte nesta escala de gravidade são as popularmente chamadas espinhas internas. Na verdade, são nódulos e cistos inflamados que se formam sob a pele. Na maioria das vezes, quem os tem sente dores locais.

A acne conglobata, que na maior parte das situações acomete adolescentes do sexo masculino, é o nível mais grave da doença. Nesse caso, os nódulos e cistos inflamados ficam muito próximos uns dos outros e, muitas vezes, podem se juntar em uma grande lesão. No processo de cicatrização, é comum que deixem marcas na pele.

 

Cuidados

Qualquer que seja o caso, acne tem cura. É importante procurar seu médico de confiança para que o tratamento seja adequado caso a caso. Conheça os principais cuidados:

  • Não cutucar os cravos e as espinhas. As mãos e as unhas podem contaminar a pele e agravar o problema. A limpeza de pele é a solução correta, já que a remoção de cravos é feita por um profissional em ambiente higienizado.
  • Usar na pele produtos desenvolvidos especialmente para o seu tipo. Muitas vezes o que funcionou em um amigo pode não resolver o problema em você. Cada paciente tem um histórico e um organismo diferente. Só um médico poderá orientar corretamente quanto a isso.
  • Fugir das soluções caseiras. Receitas milagrosas para controle da acne não resolvem o problema e podem agravá-lo. Tentar tratá-la sem a supervisão de um médico pode expor a pele a contaminações e a situações que estimulem o corpo a produzir mais oleosidade.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.