fbpx

Tag: "coxas"

O verão está batendo à nossa porta e nada melhor do que se preparar com o que há de mais moderno e completo. 

A técnica queridinha do momento é o coolsculpting, que elimina a gordura localizada sem cirurgia. Ele resfria a área a ser tratada, cristalizando os adipócitos. Nas semanas seguintes, o corpo elimina gradualmente a gordura. É um procedimento não-cirúrgico, indolor e que apresenta resultados já na primeira sessão. 

Nós da Clínica Maddarena temos orgulho de sermos reconhecidos pelo alto nível de capacitação de nossos funcionários, que usam tecnologia de ponta para realçar a beleza do corpo e do rosto.

Para ajudar nos preparativos para a estação mais quente do ano, em outubro preparamos condições especiais para quem quer dar tchau para aquela gordurinha persistente indesejada.

E mais notícias boas: em outubro também estamos com condições especiais para os tratamentos combinados favoritos de nossos profissionais. Veja:

promoção criolipóolise

Entre em contato conosco para agendar uma avaliação e conhecer melhor todas as nossas opções de tratamento. 

(11) 5521-1007

(11) 98107-6471

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Quando o assunto é modelar o corpo e acabar com a gordura localizada, a famosa “lipo” sempre vem à tona. Mas qual a diferença entre lipoaspiração e lipoescultura? Qual solução é indicada para cada caso? Entenda as peculiaridades com a gente!

 

Lipoaspiração

Com uma cânula, o médico aspira a gordura localizada em áreas como abdome, barriga, costas, axilas e culote. Mas atenção: lipoaspiração não é um procedimento para emagrecer! Ela é recomendada para quem está no peso ideal ou muito próximo dele, já que não se recomenda tirar mais de 5% da massa corporal. 

A cicatriz é discreta e em lugares mais escondidos, como dobrinhas da pele e sulcos do corpo. 

O pós-operatório requer o uso de cinta modeladora e sessões periódicas de drenagem linfática. Com o passar dos meses, o paciente desincha e corpo vai tomando seu formato final. É possível que a pele não retraia completamente e o excesso pode ser removido com uma cirurgia plástica complementar. 

 

Lipoescultura

É a junção da lipoaspiração com aplicações de gordura de forma estratégica, para modelar o corpo. O médico pode indicá-la a pacientes que desejam reduzir medidas em uma região e aumentar em outras. Mas, mais do que colocar gordura em outro local, lipoescultura é a maneira como a gordura localizada é retirada. 

Do mesmo modo que um escultor retira os excessos do mármore para mostrar as formas “escondidas” no seu interior, na lipescultura mostra-se a real silhueta encoberta pelas áreas de lipodistrofia, ou gordura localizada. A lipoenxertia – método em que o médico transfere células de gordura para outras regiões – é também utilizada na lipoescultura para complementar e otimizar o resultado. Ou seja, a lipoescultura pode ser feita isoladamente com a lipoaspiração, ou combinada com a lipoenxertia. Uma vez transferidas, nem todas as células sobreviverão no local. Existe uma taxa de reabsorção que pode ser alta, com pouco ou nenhum resultado. Há, no entanto, algumas técnicas que aumentam a taxa de sobrevida das células transferidas, mas não há como garantir a taxa de eficácia. Por outro lado, quando integradas na região, ficarão para sempre.

A técnica também pode ser usada para preencher regiões menores ou que precisam de correções mais delicadas, como rosto, bigode chinês, mãos e ajustes de pequenas simetrias.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Durante a abdominoplastia, o médico reposiciona os músculos do abdome, tira o excesso de pele e, se necessário, combina com uma lipoaspiração da barriga. Todo esse trabalho exige uma recuperação cuidadosa, envolvendo repouso, higienização e, principalmente, o uso correto da cinta modeladora.

E a compressão não é importante só na abdominoplastia: cintas e outros materiais modeladores também são indicados no pós-parto e depois de outras intervenções cirúrgicas, como lipoaspiração nos braços ou colocação de silicone nas mamas.

 

Para que serve?

Feita de um material especial, a cinta modeladora pós-cirúrgica cobre todo o abdome. Isso ajuda a reduzir o acúmulo de líquidos na região, aliviando o inchaço. Ela também protege os pontos, mantém os tecidos no lugar, comprime a região e molda o novo corpo.

O uso correto proporciona mais conforto ao paciente, dando suporte ao corpo durante o repouso ou movimentos.

 

Qual tipo usar?

Quando o cirurgião plástico orientar o paciente sobre os cuidados do pós-operatório, ele vai dizer qual o melhor tipo de cinta modeladora para o seu caso. Há modelos mais curtos e outros tipo macaquinho, que comprimem, além do abdome, as coxas e braços. O importante é seguir a recomendação médica e tirar a cinta só na hora do banho.

 

Quanto mais apertado melhor será o resultado?

Não. Muita gente acha que a cinta modeladora deve apertar o corpo para fazer efeito. Essa ideia é errada e pode machucar o abdome, que já está sensibilizado. A cinta deve fazer uma leve compressão, jamais causando dor ou marcando a pele.

 

Facilitando o uso da cinta modeladora

Principalmente nos primeiros dias, é preciso contar com a ajuda de alguém para colocar a cinta. O paciente deve vesti-la com calma e aos poucos, com muito cuidado para posicionar de forma correta a costura, elásticos e fechos.

Como no início a cinta deve ser usada em tempo integral, é importante ter pelo menos duas unidades, já que, enquanto uma é lavada, a outra é colocada em uso.

É normal que, com o tempo, o corpo do paciente desinche e a cinta precise ser ajustada. Esse passo é importante para manter sua eficácia e o conforto.

 

Por quanto tempo usar?

A cinta modeladora é uma forte aliada na recuperação do paciente. Só o cirurgião responsável pode avaliar seu tempo mínimo de uso. Via de regra, ela deve ser usada por pelo menos um mês. Mas esse prazo varia muito de acordo com o procedimento realizado e o ritmo de recuperação do paciente.

Para uma cirurgia de sucesso, é crucial obedecer a todas as orientações do médico no pós-operatório e informá-lo de qualquer dúvida ou problema.

 

Foto: yogadistribuidora.com.br

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

A drenagem linfática consiste em uma massagem suave que conduz toxinas até os gânglios, localizados em áreas do nosso corpo como axilas e virilha. Depois de caírem na corrente sanguínea, as impurezas são filtradas pelo rim e liberadas pela urina.

É indicada para vários fins, como inchaço, celulite e depois de algumas cirurgias. Mas, apesar de ser uma terapia conhecida por muita gente, notamos que nossos pacientes ainda têm dúvidas sobre como ela funciona. Veja com a gente alguns mitos e verdades da drenagem linfática.

 

Drenagem boa tem que apertar forte e doer

Mito

Os movimentos da massagem conduzem as toxinas até o gânglio mais próximo. Elas passam por vasos linfáticos, que são muito finos e estão bem próximos à superfície da pele. Por isso, é necessário aplicá-la com delicadeza e conhecimento técnico, para que as toxinas sigam o caminho correto até serem eliminadas sem machucar o corpo.

 

A drenagem ajuda a combater os efeitos da TPM

Verdade

Por eliminar impurezas e reduzir o inchaço, é comum que as mulheres em período pré-menstrual se sintam melhor depois de uma sessão. Além disso, poder desligar do mundo e se permitir uma hora de relaxamento melhora qualquer incômodo, certo?

 

É normal urinar mais depois de uma sessão de drenagem linfática

Verdade

Como os movimentos conduzem as toxinas até a circulação sanguínea, os rins se encarregam de eliminá-las na urina. Assim, é normal ir mais vezes ao banheiro. Nem todo paciente percebe essa diferença – então não é preciso se preocupar se ela não ocorrer.

 

Drenagem linfática emagrece

Mito

A massagem reduz o inchaço do corpo eliminando toxinas, mas ela sozinha não é responsável por eliminar gordura. O mais importante para emagrecer é incorporar à rotina bons hábitos alimentares e exercícios físicos. Procedimentos adicionais são muito bem-vindos e, se corretamente prescritos por um profissional capacitado, ajudam a reduzir inchaços e a acelerar o metabolismo.

 

Grávidas devem usar e abusar da drenagem linfática

Parcialmente verdade

A drenagem apresenta resultados muito bons em gestantes que ficam inchadas, principalmente nos últimos meses da gravidez. Mas, antes de iniciar o tratamento, é indispensável a prescrição médica. As massagens podem não ser indicadas em mulheres com determinadas doenças, como hipertensão ou as relacionadas ao sistema circulatório.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

As temidas estrias nada mais são do que cicatrizes. Elas surgem quando fibras de colágeno se rompem, marcando a pele. No começo, têm um tom avermelhado, indicando que ainda estão presentes nelas vasos sanguíneos – que, se tratados, podem ajudar a regenerar a região. É por isso que dizemos que as estrias já esbranquiçadas são mais difíceis de tratar.

Conheça agora algumas formas para amenizar a aparência das estrias:

 

1. Laser

O laser é uma luz muito forte que, se programada e operada corretamente, atinge seu alvo para um tratamento específico. Ele estimula a produção de colágeno, o que auxilia em vários tipos de cicatrização. Além das estrias, também proporciona excelentes resultados nas marcas de acne, manchas na pele e poros dilatados. Os resultados são visíveis já nas primeiras sessões.

 

2. Peeling químico

Também é possível estimular a produção de colágeno com o peeling químico. Trata-se de uma solução química que, aplicada sobre as estrias, provoca a regeneração da área. O tipo do ácido utilizado depende da aparência da estria (cor e dimensões). É um método versátil – assim como o laser, e pode ser usado para outros fins, como a melhora de manchas na pele causadas pela acne.

 

3. Microdermoabrasão (ou peeling físico)

Técnica que inclui o peeling de diamante e o de cristal, é outra forma de se provocar a regeneração da pele. Com um aparelho específico, o profissional qualificado desgasta a área afetada com muito cuidado. Mas não se assuste: o procedimento é indolor – causa, no máximo, um pequeno desconforto que passa em segundos.

 

4. Multiwaves (ou LED)

Você sabia que as lâmpadas de LED também são úteis no combate às estrias? Claro que em uma versão tecnológica diferente da que ilumina nossas casas. Esse método específico estimula a cicatrização e o rejuvenescimento da pele. E também tem outras várias indicações, inclusive para fortalecimento capilar!

 

5. Cirurgia plástica

Plásticas como a abdominal têm por finalidade corrigir excessos de pele e reposicionar musculaturas. Já que a cirurgia envolve corte de pele, algumas estrias podem ser eliminadas no processo. Como já comentamos em outro texto, converse sempre com seu médico para entender as expectativas da cirurgia e os resultados que podem ser alcançados.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.