fbpx

Tag: "pós-operatório"

A drenagem linfática consiste em uma massagem suave que conduz toxinas até os gânglios, localizados em áreas do nosso corpo como axilas e virilha. Depois de caírem na corrente sanguínea, as impurezas são filtradas pelo rim e liberadas pela urina.

É indicada para vários fins, como inchaço, celulite e depois de algumas cirurgias. Mas, apesar de ser uma terapia conhecida por muita gente, notamos que nossos pacientes ainda têm dúvidas sobre como ela funciona. Veja com a gente alguns mitos e verdades da drenagem linfática.

 

Drenagem boa tem que apertar forte e doer

Mito

Os movimentos da massagem conduzem as toxinas até o gânglio mais próximo. Elas passam por vasos linfáticos, que são muito finos e estão bem próximos à superfície da pele. Por isso, é necessário aplicá-la com delicadeza e conhecimento técnico, para que as toxinas sigam o caminho correto até serem eliminadas sem machucar o corpo.

 

A drenagem ajuda a combater os efeitos da TPM

Verdade

Por eliminar impurezas e reduzir o inchaço, é comum que as mulheres em período pré-menstrual se sintam melhor depois de uma sessão. Além disso, poder desligar do mundo e se permitir uma hora de relaxamento melhora qualquer incômodo, certo?

 

É normal urinar mais depois de uma sessão de drenagem linfática

Verdade

Como os movimentos conduzem as toxinas até a circulação sanguínea, os rins se encarregam de eliminá-las na urina. Assim, é normal ir mais vezes ao banheiro. Nem todo paciente percebe essa diferença – então não é preciso se preocupar se ela não ocorrer.

 

Drenagem linfática emagrece

Mito

A massagem reduz o inchaço do corpo eliminando toxinas, mas ela sozinha não é responsável por eliminar gordura. O mais importante para emagrecer é incorporar à rotina bons hábitos alimentares e exercícios físicos. Procedimentos adicionais são muito bem-vindos e, se corretamente prescritos por um profissional capacitado, ajudam a reduzir inchaços e a acelerar o metabolismo.

 

Grávidas devem usar e abusar da drenagem linfática

Parcialmente verdade

A drenagem apresenta resultados muito bons em gestantes que ficam inchadas, principalmente nos últimos meses da gravidez. Mas, antes de iniciar o tratamento, é indispensável a prescrição médica. As massagens podem não ser indicadas em mulheres com determinadas doenças, como hipertensão ou as relacionadas ao sistema circulatório.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Muita gente tem vontade de se submeter a procedimentos cirúrgicos para melhorar o visual e acaba esbarrando no fator tempo. Afinal, passar por uma cirurgia eletiva – esta que pode ser feita sem urgência nem pressa – exige também certas manobras na agenda: da dedicação no preparo, o dia da operação em si e, principalmente, a recuperação. Uma alternativa que pode funcionar em inúmeros casos é a chamada cirurgia combinada.

A ideia é aproveitar esse tempo para já resolver duas (ou mais) questões de uma só vez. Muitas vezes, até a anestesia pode ser “aproveitada”, diminuindo assim o impacto no organismo.

 

Limites da cirurgia combinada

Claro que há procedimentos cirúrgicos que podem ser feitos concomitantemente. Inclusive se forem de especialidades médicas diferentes – nesse caso, é preciso que as equipes envolvidas planejem conjuntamente o que será feito e qual procedimento será realizado primeiro.

Acontece de pacientes chegarem ao consultório querendo fazer tudo de uma só vez. Lipoaspiração, implante de silicone, cirurgia nos braços… Muita calma. Tudo precisa ser avaliado de forma racional pelo médico.

Os limites do impacto de uma cirurgia no organismo variam de pessoa para pessoa. Idade, preparo físico, antecedentes de saúde e histórico familiar precisam ser avaliados. Exames ajudam o médico a analisar se realmente é o caso de fazer mais de uma cirurgia ao mesmo tempo. Além disso, é preciso colocar na balança as restrições e as necessidades impostas por cada tipo de cirurgia envolvida. O tempo total dos procedimentos também tem de ser levado em conta.

Em geral, procedimentos mais facilmente associados são aqueles que se enquadram na mesma área cirúrgica – ou, pelo menos, aqueles cujo pós-operatório envolve a mesma posição. Exemplos de combinações clássicas são lipoaspiração e abmominoplastia, prótese nas mamas e lipoaspiração, mamoplastia e abdominoplastia ou lifting facial e cirurgia de nariz.

O importante é chegar a um consenso entre as expectativas do paciente e, principalmente, os conhecimentos e as responsabilidades do médico. Por isso, mais do que nunca, na hora da cirurgia a confiança é fundamental.

Realizando os procedimentos para a cirurgia combinada de maneira consciente e seguindo as recomendações, a recuperação ocorrerá sem sobressaltos. E o resultado será compensador.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Voltamos a falar da recuperação da Cruroplastia trazendo informações a respeito dos cuidados com as cicatrizes, marcas inevitáveis dessa cirurgia na região das coxas. Além disso, conversamos com o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, para esclarecermos a função exata das meias antitrombóticas nos pacientes recém-operados.

O Dr. Vitorio nos explicou que o uso de meias de compressão é indicado após a Dermolipectomia Crural pois elas atuam na diminuição do edema (inchaço), além de terem ação preventiva contra trombose. Sobre o mesmo tema ele também alertou a respeito do uso de remédios específicos: “dependendo das condições clínicas individuais pode ser necessário o uso de medicamentos anticoagulantes nos dez dias seguintes à cirurgia”.

Cuidados com as cicatrizes também são importantes, como massagens e o uso de cremes e fitas compressivas que levarão ao melhor resultado possível. É importante lembrar que a cicatrização é um processo longo e contínuo (um ano, no mínimo) e que o acompanhamento médico para receber orientações nesse período é importante.

Todos esses cuidados citados devem ser seguidos à risca a fim de que a recuperação do paciente seja satisfatória e com o mínimo desconforto. Os bons resultados da Cruroplastia também estão ligados a um processo pós-operatório baseado na obediência às recomendações médicas.

Conforme prometido, hoje daremos dicas sobre o processo de recuperação da Mamoplastia. Nosso objetivo é ajudá-la a se programar com antecedência para esse período fundamental para se atingir um bom resultado final.

A mama se apoia no músculo que movimenta o braço, de forma que os movimentos do membro superior devem ser contidos e deve-se evitar elevar os cotovelos acima dos ombros. Em decorrência disso, recomenda-se que se evite vestir blusas fechadas. Será de extrema importância também alguma ajuda na hora de lavar e pentear os cabelos. É necessário usar um sutiã pós-cirúrgico nas primeiras semanas.

Alguns cuidados gerais, válidos também para outras cirurgias são evitar esforços e exposição a fontes de calor e à luz do sol. O Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, traz conselhos para você que pretende se submeter à plástica mamária: “A alta hospitalar é no dia seguinte à cirurgia, podendo até mesmo ser no mesmo dia. Em casa você já poderá caminhar, evitando apenas esforços maiores. É importante que atividades que envolvam os membros superiores, como dirigir e determinados exercícios só sejam retomados após 2 a 4 semanas, de maneira gradual e sempre seguindo as orientações de seu médico”.

Continue nos seguindo aqui no blog e nas redes sociais, e aproveite para nos enviar dúvidas sobre Mamoplastia ou qualquer um dos outros procedimentos para que possamos respondê-las dentro dos nossos próximos posts.

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Trazemos hoje informações a respeito do processo de recuperação da Bichectomia. Entrevistamos o Dr. Vitorio Maddarena, que deu mais detalhes sobre o procedimento em si e listou algumas dicas importantes sobre cuidados durante o período pós-operatório.

Ele nos deu detalhes de como o cirurgião consegue localizar a Bola de Bichat para, posteriormente, removê-la: “Nessa cirurgia são feitas duas pequenas incisões, uma de cada lado, por dentro da bochecha, no interior da boca”. Em seguida, nos revelou como é feito o fechamento do corte e como o paciente deve lidar com ele: “Via de regra os pontos são dados com fios de sutura absorvíveis, o que significa que cairão sozinhos após cerca de 1 semana. ”

Quanto à alimentação e higiene, é importante não comer alimentos muito duros e/ou muito quentes. A higienização da boca após a alimentação também é fundamental. “Para isso, faça bochechos com antissépticos orais, ou até mesmo com água filtrada e/ou fervida”, completou o Dr. Vitorio.

A Bichectomia é uma cirurgia, portanto alguns cuidados como evitar exposição a fontes de calor e esforços nos primeiros dias também se aplicam a ela e impactam no resultado final. Se o procedimento te interessou, procure um médico especialista e agende uma avaliação. Caso haja dúvidas, não deixe de nos perguntar pelas redes sociais para que possamos ajudar a esclarecê-las.

×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.