fbpx

Tag: "abdômen"

A drenagem linfática consiste em uma massagem suave que conduz toxinas até os gânglios, localizados em áreas do nosso corpo como axilas e virilha. Depois de caírem na corrente sanguínea, as impurezas são filtradas pelo rim e liberadas pela urina.

É indicada para vários fins, como inchaço, celulite e depois de algumas cirurgias. Mas, apesar de ser uma terapia conhecida por muita gente, notamos que nossos pacientes ainda têm dúvidas sobre como ela funciona. Veja com a gente alguns mitos e verdades da drenagem linfática.

 

Drenagem boa tem que apertar forte e doer

Mito

Os movimentos da massagem conduzem as toxinas até o gânglio mais próximo. Elas passam por vasos linfáticos, que são muito finos e estão bem próximos à superfície da pele. Por isso, é necessário aplicá-la com delicadeza e conhecimento técnico, para que as toxinas sigam o caminho correto até serem eliminadas sem machucar o corpo.

 

A drenagem ajuda a combater os efeitos da TPM

Verdade

Por eliminar impurezas e reduzir o inchaço, é comum que as mulheres em período pré-menstrual se sintam melhor depois de uma sessão. Além disso, poder desligar do mundo e se permitir uma hora de relaxamento melhora qualquer incômodo, certo?

 

É normal urinar mais depois de uma sessão de drenagem linfática

Verdade

Como os movimentos conduzem as toxinas até a circulação sanguínea, os rins se encarregam de eliminá-las na urina. Assim, é normal ir mais vezes ao banheiro. Nem todo paciente percebe essa diferença – então não é preciso se preocupar se ela não ocorrer.

 

Drenagem linfática emagrece

Mito

A massagem reduz o inchaço do corpo eliminando toxinas, mas ela sozinha não é responsável por eliminar gordura. O mais importante para emagrecer é incorporar à rotina bons hábitos alimentares e exercícios físicos. Procedimentos adicionais são muito bem-vindos e, se corretamente prescritos por um profissional capacitado, ajudam a reduzir inchaços e a acelerar o metabolismo.

 

Grávidas devem usar e abusar da drenagem linfática

Parcialmente verdade

A drenagem apresenta resultados muito bons em gestantes que ficam inchadas, principalmente nos últimos meses da gravidez. Mas, antes de iniciar o tratamento, é indispensável a prescrição médica. As massagens podem não ser indicadas em mulheres com determinadas doenças, como hipertensão ou as relacionadas ao sistema circulatório.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

As temidas estrias nada mais são do que cicatrizes. Elas surgem quando fibras de colágeno se rompem, marcando a pele. No começo, têm um tom avermelhado, indicando que ainda estão presentes nelas vasos sanguíneos – que, se tratados, podem ajudar a regenerar a região. É por isso que dizemos que as estrias já esbranquiçadas são mais difíceis de tratar.

Conheça agora algumas formas para amenizar a aparência das estrias:

 

1. Laser

O laser é uma luz muito forte que, se programada e operada corretamente, atinge seu alvo para um tratamento específico. Ele estimula a produção de colágeno, o que auxilia em vários tipos de cicatrização. Além das estrias, também proporciona excelentes resultados nas marcas de acne, manchas na pele e poros dilatados. Os resultados são visíveis já nas primeiras sessões.

 

2. Peeling químico

Também é possível estimular a produção de colágeno com o peeling químico. Trata-se de uma solução química que, aplicada sobre as estrias, provoca a regeneração da área. O tipo do ácido utilizado depende da aparência da estria (cor e dimensões). É um método versátil – assim como o laser, e pode ser usado para outros fins, como a melhora de manchas na pele causadas pela acne.

 

3. Microdermoabrasão (ou peeling físico)

Técnica que inclui o peeling de diamante e o de cristal, é outra forma de se provocar a regeneração da pele. Com um aparelho específico, o profissional qualificado desgasta a área afetada com muito cuidado. Mas não se assuste: o procedimento é indolor – causa, no máximo, um pequeno desconforto que passa em segundos.

 

4. Multiwaves (ou LED)

Você sabia que as lâmpadas de LED também são úteis no combate às estrias? Claro que em uma versão tecnológica diferente da que ilumina nossas casas. Esse método específico estimula a cicatrização e o rejuvenescimento da pele. E também tem outras várias indicações, inclusive para fortalecimento capilar!

 

5. Cirurgia plástica

Plásticas como a abdominal têm por finalidade corrigir excessos de pele e reposicionar musculaturas. Já que a cirurgia envolve corte de pele, algumas estrias podem ser eliminadas no processo. Como já comentamos em outro texto, converse sempre com seu médico para entender as expectativas da cirurgia e os resultados que podem ser alcançados.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

11Como já dissemos num post anterior sobre Abdominoplastia, um dos públicos que mais procuram este procedimento é o de mulheres que tiveram filho(s) e desejam resgatar a aparência abdominal que tinham antes da gestação. Mas a relação cirurgia plástica x gestação sempre vem carregada de dúvidas e incertezas. Hoje vamos hoje esclarecer uma dúvida comum a mulheres grávidas ou que acabaram de se tornar mães: “quanto tempo depois de dar à luz a mulher pode fazer essa cirurgia? ”

Para isso contamos com o embasamento científico do Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, que traz alguns esclarecimentos sobre a cirurgia abdominal. “No período pós-parto ocorrem modificações no corpo que serão transitórias. Há tanto modificações estéticas como funcionais, de tal forma que o ideal é esperar até que o organismo retorne à normalidade. Isso exige um prazo mínimo que pode variar de 6 meses a 1 ano”, afirma o Doutor.

Portanto, paciência para agendar o procedimento é fundamental para evitar transtornos futuros nessa região que tem alto valor estético ao corpo da mulher. E, como sempre dizemos aqui, busque sempre clínicas e profissionais especializados a fim de que os resultados esperados possam ser alcançados. No próximo post sobre o tema, continuaremos abordando a Abdominoplastia pós-gestação com o intuito de esclarecermos um tabu. Não perca!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Hoje abordaremos um problema estético que aflige pessoas de todas as idades, com ou sem sobrepeso: as celulites. Elas podem surgir nas coxas, abdômen, nádegas e braços por múltiplos motivos como: má alimentação, sedentarismo, fumo, problemas circulatórios, alterações hormonais e até o estresse. Também vamos mostrar tratamentos estéticos que ajudam a diminuir as celulites.

Quando ocorre ingestão excessiva de gorduras, açúcares e álcool, por exemplo, o corpo acaba produzindo toxinas difíceis de serem drenadas. Elas se acumulam na corrente sanguínea, tornam o sangue viscoso, comprimem as células e dificultam a circulação, fazendo com que o corpo entenda estar em meio a um processo inflamatório. O organismo, como mecanismo de defesa, acaba criando nódulos que se transformam nas ondulações típicas das celulites.

Conversamos com a Luciana, coordenadora de tratamentos estéticos da Clínica Maddarena, que nos falou de alguns tratamentos indicados para o combate às celulites. “A drenagem linfática corporal é uma técnica indicada para quem sofre com retenção de líquidos, mas também traz bons resultados na aparência das celulites e das ondulações de pele. Outros dois tratamentos contra esse problema são o Max Redux e o Venus Freeze”, completa Luciana.

Quando voltarmos a falar das celulites, explicaremos como funcionam o Max Redux e o Venus Freeze. Continue nos acompanhando tanto no blog como nas mídias sociais para se manter informado sobre o universo dos tratamentos estéticos.

No post anterior sobre Abdominoplastia contamos com o auxílio do Doutor Vitorio Maddarena para levar até você a informação de que a mulher que deseja se submeter a esse procedimento deve esperar no mínimo seis meses a partir do momento em que deu à luz. O objetivo deste post é, dentro da mesma relação “cirurgia plástica x gestação”, esclarecer um tabu muito comum: o de que não é mais possível engravidar após ter se submetido a uma Abdominoplastia.

Recorremos novamente ao Dr. Vitorio para deixar tudo isso bem claro para você, leitor(a): “Isso não é uma verdade absoluta. A Abdominoplastia remove o excesso de pele e reposiciona a musculatura que, normalmente, se afasta com a gravidez. Então essa cirurgia deve ser indicada quando a pessoa não pretende mais ter filhos pois a perda do resultado seria inevitável e, como os excessos de pele já foram removidos, nem sempre é possível fazer a cirurgia novamente. Por outro lado, a gravidez em pessoas já submetidas à Abdominoplastia transcorre sem problemas para a criança. ”

Ele afirma também que, nas pessoas que passaram por grande emagrecimento decorrente de cirurgias bariátricas, a retirada do excesso de pele em nada interfere em futuras gestações. Portanto, isso tudo não passava de uma lenda que precisava de um esclarecimento científico. Continue bem informada(o) sobre procedimentos estéticos aqui no blog e nas nossas redes sociais!

×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.