fbpx

Tag: "peeling"

Ácido glicólico, retinóico, salicílico… Você certamente já ouviu esses nomes em alguma consulta com seu dermatologista ou lendo algum rótulo de produto. Mas para que eles servem? Confira com a gente!

 

Ácido glicólico

É derivado da cana de açúcar e de outros vegetais doces – por isso o nome. Promove a descamação da pele e a renovação celular. Portanto, é uma boa opção para atenuar linhas de expressão, iluminar a pele, reduzir alguns tipos de manchas e estimular a produção de colágeno pelo organismo.

As formulações em menores quantidades podem ser prescritas por um médico dermatologista para uso em casa, como parte da rotina de cuidados diários. Em maiores concentrações, o ácido só deve ser aplicado por profissionais em sessões de peeling químico.

 

Ácido retinóico

Também promove a descamação da pele, amenizando a sensação de aspereza, as rugas e as manchas. Graças ao seu poder de renovação celular, também é indicado para atenuar estrias e cicatrizes de acne.

 

Ácido hialurônico

Quem acompanha nosso blog sabe como gostamos de falar do ácido hialurônico! Ele é naturalmente produzido pelo organismo e não causa rejeição. É indicado pelos médicos para preencher pequenas áreas do corpo, como lábios e rugas e também para fazer a ancoragem dos tecidos, como no MD Codes.

Hoje em dia há várias formulações do ácido para finalidades específicas — das injeções de preenchimento aplicadas por um médico habilitado até os cremes hidratantes para uso diário.

 

Ácido salicílico

É um ácido que controla a oleosidade da pele e evita a contaminação por fungos e bactérias. Por isso, é muito indicado para quem quer amenizar a acne. Também promove uma leve descamação na pele, o que ajuda na renovação celular.

 

Ácido ascórbico

Também conhecido como a famosa vitamina C, é o queridinho nos tratamentos de rejuvenescimento facial. Por ser antioxidante, ele ajuda a retardar o processo de envelhecimento da pele é indicado para quem ainda não apresenta os primeiros sinais da idade e para quem já quer tratar rugas e linhas de expressão. Também é indicado para algumas manchas, como as do melasma.

 

Ácido tranexâmico

Um outro ácido indicado para o combate à hiperpigmentação. Ele clareia manchas, uniformiza o tom e também pode ser prescrito em casos de melasma, manchas provocadas pelo sol e marcas de acne.

Há várias formas de usá-lo: em cremes, por via oral e até em injeções diretamente na mancha.

 

Atenção aos ácidos: não use nenhum sem prescrição médica!

Os ácidos para o rosto nos trazem excelentes benefícios, mas devem sempre ser usados sob prescrição médica. Só um médico pode avaliar se uma substância é indicada para o caso concreto. O profissional vai levar em consideração muitos outros aspectos do paciente além da queixa que o fez procurar o consultório. É preciso saber sobre alergias, histórico familiar de doenças, a rotina do paciente em relação à exposição ao sol, etc.

Importante: nunca use nenhum medicamento sem orientação e informe imediatamente seu médico sobre reações adversas ou se ficar grávida.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Há pouco tempo comentamos sobre os cuidados das mãos e do pescoço, duas regiões não tão lembradas na rotina diária. E hoje vamos falar sobre a pele do colo, que é frequentemente exposta à ação do sol e que deve, sim, ser lembrada com carinho.

 

A importância do dermatologista

Converse com seu dermatologista sobre as melhores opções de tratamentos para pele que já apresenta linhas e manchas. É importante procurar imediatamente um médico se você notar alguma lesão na pele do colo, como feridas que não cicatrizam ou pigmentações irregulares.

Só um médico pode examinar seu corpo e prescrever medicamentos adequados. Passe longe de soluções caseiras: além de não resolver, elas podem deixar a pele mais sensível e machucá-la. 

 

Mantenha a pele do colo hidratada

O seu hidratante corporal pode – e deve – ser usado na região do colo. Uma pele bem hidratada ajuda a prevenir o envelhecimento precoce e a flacidez. Se você ainda não tem o hábito de usar hidratante diariamente, faça uma forcinha. É um minuto a mais após o banho que se torna um grande investimento na beleza a médio e longo prazo.

 

Proteção solar

Saia à rua e observe as pessoas. Veja como o colo é um dos principais lugares que recebem a luz do sol. Mas qual foi a última vez que você passou protetor solar na região? Talvez em sua última ida à praia. 

Quando for aplicar protetor solar no rosto e no pescoço, não se esqueça do colo. Assim, você previne o aparecimento de novas rugas e manchas na região. 

 

Peeling químico e físico

Umas das formas mais eficazes de atenuar manchas são os peelings. Por meio de uma abrasão controlada, é possível remover a camada mais externa da pele do colo, para que uma nova surja mais rejuvenescida e iluminada. Saiba mais sobre os tipos de peeling com a gente!

 

Laser

Um feixe de luz especial é direcionado à mancha, promovendo a renovação da pele do local. É um dos recursos mais versáteis disponíveis atualmente e pode ser utilizado para vários outros fins, como tratamento de estrias, cicatrizes de acne e poros dilatados

 

Ácido hialurônico

Trata-se de uma substância naturalmente existente em nosso organismo, responsável por deixar a pele mais suave e elástica. E melhor: justamente por ser encontrado no nosso corpo, ele não é rejeitado e não provoca alergias. Aplicações de ácido hialurônico ajudam a preencher rugas no colo e ajudam a dar um aspecto mais liso e jovem. 

Conheça melhor os usos do ácido hialurônico aqui e aqui.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Na semana passada falamos sobre o envelhecimento das mãos e como elas são facilmente  esquecidas na rotina de cuidados diários com a pele. O pescoço é outra região que, mesmo próxima ao rosto, nem sempre conta com a mesma atenção. Entenda com a gente por que é preciso mudar isso e saiba como é simples dar atenção a essa área que merece nosso carinho. 

 

A pele do pescoço é igual à do rosto?

Não. Ela tem menos glândulas sebáceas (já reparou como temos bem menos acne na região?) e, por isso, tem menor poder de hidratação, podendo ficar ressecada mais facilmente. Além disso, é um pouco mais fina do que as principais regiões do rosto, se assemelhando à área do contorno dos olhos.

 

Que tipo de cosméticos usar?

A pele do pescoço, mesmo sendo um pouco diferente da do rosto, responde muito bem à maioria dos cosméticos formulados para a face. Mas não se esqueça: por ser mais fina, produtos com fórmulas especiais — como os ácidos — podem machucar a região. Por isso, é importante se consultar periodicamente com um dermatologista para entender as melhores soluções para cada caso. 

 

Como tratar manchas no pescoço?

Por ser uma região sensível, constantemente exposta ao sol e nem tão lembrada nos cuidados diários, com o tempo a pele do pescoço pode começar a apresentar manchas. Nesses casos, um médico dermatologista deve ser consultado para, antes de tudo, avaliar a pele e descartar a possibilidade de lesões mais graves. Há diversos tratamentos eficazes, como peelings, laser e aplicação de ácidos especialmente formulados para áreas sensíveis.  

 

E como acabar com a papada? 

A medicina conta com várias soluções para a temida papada, que é a flacidez e o excesso de pele na região do pescoço. Dependendo das características e do histórico de cada paciente, é possível lançar mão de soluções mais ou menos invasivas. Uma novidade recente é o coolsculpting, técnica que cristaliza as células de gordura e faz com que sejam eliminadas gradualmente pelo organismo

Também é possível estimular a produção de colágeno da região para melhorar o tônus da pele e o contorno em geral. 

Em casos em que a papada é mais evidente e persistente, como quando a pessoa perde muito peso, a cirurgia plástica é uma ótima aliada. O médico usa técnicas como lifting e lipoaspiração, melhorando o contorno do rosto e o perfil do paciente.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Você já ouviu falar em colágeno, certo? Ele é a proteína responsável pela constituição da pele e sua firmeza. Mas, a partir dos 20 anos, nossa produção de colágeno cai 1% ao ano e é por isso que, à medida que envelhecemos, nosso rosto passa a ter um aspecto caído e perde o viço.

O envelhecimento é um processo natural. Pode ser controlado, mas não deixa de existir. É uma característica de todo ser humano.

Mas há algumas situações em que esse envelhecimento aparece mais cedo. Veja com a gente como isso acontece e como evitar.

 

O que é envelhecimento precoce?

É o surgimento, antes do tempo, de manchas, rugas e flacidez. A pele perde hidratação e elasticidade, ficando com um aspecto cansado e sem viço. As bolsinhas de gordura presentes sob a pele da pálpebra também podem mudar de lugar, provocando olheiras e bolsas sob os olhos.

 

Fatores para o envelhecimento precoce

Várias situações de nosso cotidiano contribuem para o rompimento das fibras de colágeno e para a obstrução dos poros, duas das causas mais frequentes do envelhecimento precoce. Mudanças hormonais e a exposição aos raios UV ajudam no aparecimento de manchas escuras.

E hábitos nocivos à saúde como um todo se refletem também na beleza da pele: tabagismo, sedentarismo, má alimentação, estresse e exposição ao sol sem protetor solar.

 

Como evitar o envelhecimento precoce?

Há fatores de envelhecimento mais fáceis e outros mais difíceis de evitar. Reflita sobre o seu estilo de vida e comece mudando coisas pequenas. Beber bastante água e não esquecer do protetor solar são um ótimo começo. Deixe a preguiça de lado: sempre tire a maquiagem antes de dormir e vá para a cama com o rosto limpo.

Falando nisso, qual foi a última vez que você foi ao dermatologista? Se faz mais de um ano, é hora de fazer uma nova visita. Será a oportunidade ideal para conversar sobre suas preocupações.

 

O que fazer quando a pele já apresenta sinais de envelhecimento?

Em sua consulta, o dermatologista vai buscar entender a origem do problema e como ele está se manifestando – se é flacidez, ressecamento, manchas, etc. Com essas informações, o médico prescreve o tratamento adequado, que pode ser com o uso de peelings, toxina butolínica, laser, preenchimento com ácido hialurônico [LINK] e até mesmo cirurgia plástica.

Quanto antes começar a combater o problema, melhores serão os resultados e mais simples os procedimentos necessários.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Na semana passada conversamos sobre o que causa o melasma. Hoje vamos falar sobre os principais tratamentos existentes.

Somente o médico dermatologista saberá avaliar o caso concreto e determinar qual ou quais tratamentos são mais indicados para um paciente. As condutas podem variar, mas a orientação de proteção contra luz visível e raios ultraviolenta é constante e precisa ser reforçada durante a terapia.

Hoje em dia, estão disponíveis diversos medicamentos de uso tópico e procedimentos como peelings e aplicações e luzes ou lasers para o clareamento.

Para combater o melasma, não há uma só receita: o médico costuma lançar mão de um conjunto de medidas tanto para clarear a mancha quanto para impedir que ela volte.

 

Fotoproteção contra o melasma

A proteção à exposição solar é condição fundamental para tratar o melasma. Tanto para iniciar o tratamento quanto para, depois, estabilizar e manter os resultados. Aqueles que têm melasma precisam aplicar, nas regiões afetadas, um filtro solar eficiente, físico e químico, com FPS alto.

É importante buscar produtos que tenham proteções tanto contra os raios ultravioleta A (UVA) quanto ultravioleta B (UVB).

 

Cremes

O uso de cremes não é uma unanimidade. Trata-se de um método que não funciona com todos os pacientes. Os produtos à base de hidroquinona, ácido glicólico, ácido retinoico e ácido azelaico podem ajudar na remoção das manchas. Também podem ser indicados ativos como arbutin, ácido kójico, ácido fítico, ácido tranexâmico e ácido dioico.

Os resultados começam a ser visíveis em cerca de 60 dias depois do início do tratamento. Depois desse período, o médico irá orientá-lo como continuar com os cremes, para que a condição seja estabilizada e o pigmento indesejado não retorne.

 

Peelings

Existem muitos tipos diferentes de peelings, sendo que alguns deles conseguem atingir até as camadas mais profundas da pele. Seu dermatologista pode ajudá-lo a escolher o mais adequado para seu caso.

Esse tipo de tratamento pode clarear a pele de forma gradual, com bons resultados para o combate ao melasma. Conheça os tipos de peeling mais populares aqui.

 

Laser e luz pulsada

Há tratamentos feitos com formas de energia luminosa que também clareiam o melasma. Isso pode ser feito com o laser ou com a luz intensa pulsada. É importante tomar cuidado: se tais procedimentos não forem feitos de forma adequada, o efeito pode ser inverso, já que a luz pode gerar mais pigmentação.

Por isso é importante escolher um bom médico dermatologista – um profissional credenciado, atualizado e que inspire confiança.

 

MMP, ou Microinfusão de Medicamentos na Pele

Com pequenas agulhas em um aparelho semelhante a uma máquina de tatuagem, o médico consegue alcançar com precisão a camada da pele afetada pelo melasma e aplicar diretamente o medicamento que irá combatê-lo. Essa técnica é utilizada para potencializar o efeito de diversos outros tratamentos. Conheça mais detalhes aqui.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

VEJA MAIS POSTS SOBRE
×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.