Tag: "aplicação"

Olhar no espelho e ver as olheiras demarcadas pode dar aquela sensação de abatimento, de sobrecarga, de estar carregando no semblante todo o peso dos problemas do ano. E, com o verão batendo à porta, mais ainda vem a vontade de resolver o visual.

Pois a solução não é tão complicada quanto parece. Hoje em dia, um bom tratamento feito com ácido hialurônico pode devolver a leveza de um aspecto jovem ao seu rosto. Claro que tudo precisa ser feito com responsabilidade e analisando caso a caso – por isso, uma boa conversa com seu médico é o primeiro passo para alinhar as expectativas.

 

O que é o ácido hialurônico e o que ele tem a ver com as olheiras?

Ácido hialurônico é um biopolímero que existe naturalmente em nosso organismo. Está no líquido sinovial – a “graxa” de nossas articulações –, no humor vítreo – a substância gelatinosa dos olhos – e no colágeno das células.

Quando somos jovens, temos uma quantidade alta dessa substância no tecido conjuntivo, por isso nossa pele é mais lisa, suave e elástica. Com o passar do tempo, a substância vai diminuindo – formam as rugas, acentuam-se as olheiras…

 

A hora do tratamento

Na maior parte dos casos, hoje em dia o tratamento com ácido hialurônico é a indicação mais adequada para amenizar a aparência de olheiras. Isto porque a substância, quando corretamente introduzida, reduz a impressão de profundidade embaixo dos olhos.

O tratamento combina aplicações de laser, que ativa a circulação sanguínea e diminui a coloração da pele nessas regiões.

Claro que, antes de qualquer diagnóstico, o médico precisa ouvir a queixa do paciente. Em seguida, ele vai avaliar a dinâmica, ou seja, a expressão facial, e os volumes do rosto, assim como as características da pele da região. Só então o tratamento mais adequado será decidido pelo cirurgião, sempre equilibrando o desejo do paciente e a necessidade.

 

Duração

Os efeitos da aplicação do ácido hialurônico para preenchimento não são perenes. No caso da redução das olheiras, o resultado costuma ser bom por cerca de um ano. Então, é preciso novamente avaliar a situação com o médico para, se for o caso, fazer nova aplicação do produto.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

O nosso tema de hoje é uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum: a Toxina Botulínica. Mas, calma, não precisa ter medo dela. Essa toxina é utilizada na medicina há cerca de 40 anos numa forma estéril e purificada por meio de injeções. Na Estética, sua principal função é ajudar no tratamento das rugas dinâmicas do rosto.

Antes de falar como a Toxina Botulínica age no organismo, precisamos explicar como se formam as rugas dinâmicas. Elas são as rugas que aparecem quando fazemos determinadas expressões, como é o caso dos populares “pés-de-galinha” ao redor dos olhos. Isso ocorre por conta de um fenômeno chamado hipercinesia muscular, uma contração excessiva dos músculos. A Toxina Botulínica consegue “enganar” o cérebro e, assim, ajuda a relaxar a musculatura da face por meio do controle das contrações.

“A realização desses procedimentos é rápida – em torno de 10 a 30 minutos – feitos até mesmo sem necessidade de anestesia ou, no máximo, anestesia local”, afirma o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena. Ele também afirma que sua aplicação não deixa nenhuma cicatriz no rosto, é rápida e praticamente indolor: são sentidas apenas pequenas picadas da agulha. “Os benefícios são perceptíveis entre 4 e 7 dias após a aplicação”, completa o Doutor. Quando voltarmos a falar sobre rugas, abordaremos as rugas estáticas e suas formas de tratamento. Continue nos acompanhando no blog e nas redes sociais!

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Hoje voltamos ao tema Ancoragem Facial. O objetivo deste post é levarmos até você explicações a respeito da sequência ideal de aplicações do Ácido Hialurônico para o reequilíbrio da volumetria facial. Para obtê-las, conversamos com o Dr. Vitorio, diretor da Clínica Maddarena, conforme havíamos prometido no post anterior sobre Ancoragem Facial. Confira:

“O ideal é que abordemos a face de cima para baixo. Mesmo que a queixa da paciente seja o bigode chinês, por exemplo, iniciamos por pontos de ancoragem na região entre a parte superior da orelha e o canto do olho, num osso chamado arco zigomático. Em seguida, partimos para o final desse osso, já na parte inferior do olho, para depois repor o volume na maçã do rosto propriamente dita”, explica o Doutor. Depois de tudo isso é que se chega ao sulco nasogeniano. “Em alguns casos a aplicação do Ácido Hialurônico não se faz necessária pois, com o escoramento dos tecidos, o volume que se dobra e dá origem ao sulco já não pesa tanto nessa área”, completa o Dr. Vitorio.

Por ser um procedimento não-cirúrgico, o processo de recuperação é simples. Os cuidados incluem massagens locais nos primeiros dias. Se o procedimento te interessou, procure um médico especialista no assunto e agende uma avaliação, na qual ele poderá te dizer se essa é a técnica ideal para o seu caso. E se ainda restam dúvidas sobre a Ancoragem Facial, não deixe de nos enviar pelas nossas redes sociais.

×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.