fbpx

Tag: "bichectomia"

Há dois tipos de flacidez: a dos músculos e a da pele. É importante entender a diferença pois cada uma é combatida de uma forma diferente. Mas as mulheres são as mais afetadas em ambos os casos: as variações hormonais ao longo da vida contribuem para a perda de colágeno e elastina, dois componentes essenciais para a firmeza dos tecidos. 

Neste especial sobre flacidez, vamos explicar melhor como ela aparece e o que pode ser feito para atenuá-la. E uma boa notícia: há várias frentes de ataque, tanto na prevenção como nos tratamentos profissionais. 

 

Flacidez muscular

Exercício físico é essencial para recuperar o tônus muscular. E não é só para quem quer ficar musculoso: de acordo com a idade e o objetivo do paciente, é possível adaptar a carga para garantir o mínimo de firmeza, melhorando o contorno de regiões críticas, como o músculo do tchauzinho nos braços e as coxas.

 

Flacidez da pele

Não é só o rosto que é afetado pela flacidez. Com o passar do tempo, nosso corpo reduz a produção de colágeno e a pele toda perde sustentação e tônus. Além da face, isso é notado principalmente no pescoço, no colo e nas mãos.

 

Alimentação 

A ingestão adequada de proteínas é outro fator importante: sem elas, o organismo não consegue repor as perdas do dia a dia, contribuindo para a flacidez, tanto dos músculos como da pele. O segredo está em caprichar nas carnes, peixes, ovos e vegetais como soja, castanhas e quinoa. Há outros nutrientes que ajudam no combate à flacidez, como vitamina C, zinco, cobre e selênio. Um nutricionista pode ajudar a elaborar uma rotina de alimentação que compreenda todos os grupos de alimentos necessários para peles e músculos mais firmes. 

 

Hidratação

Água é importante por dentro e por fora! A quantidade ideal varia de acordo com a idade, peso e nível de atividade física, mas dois litros por dia é a recomendação mínima para adultos saudáveis. E, para o lado de fora, cremes hidratantes contribuem para o bom aspecto da pele. Um organismo bem hidratado é mais eficiente em tudo: preserva as articulações, ajuda a transportar os nutrientes para onde eles devem chegar, auxilia na eliminação de toxinas e ainda deixa a pele mais iluminada e vigorosa. 

 

Hábitos saudáveis

E aí vai mais um motivo para abandonar hábitos nocivos ao nosso corpo: tabagismo e exposição desprotegida ao sol, por exemplo, também contribuem para o aparecimento da flacidez. A fumaça do cigarro e o sol afetam a produção de colágeno e de elastina, contribuindo para um aspecto mais envelhecido e caído da pele do rosto, colo e pescoço.

 

Na próxima semana vamos falar sobre os melhores tratamentos para combater a flacidez. Há muitas opções de acordo com o perfil do paciente! Siga a gente para acompanhar todas as novidades!

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Botox e ácido hialurônico são duas substâncias muito populares quando o assunto é rejuvenescimento. Mas quando usar cada um? Os resultados são iguais? Descubra com a gente!

 

Botox

Nome comercial mais famoso da toxina botulínica, é aplicado em pontos estratégicos para relaxar o músculo sob a pele, reduzindo o efeito das rugas dinâmicas. Desde o começo de sua aplicação para fins estéticos nos anos 90, a técnica se aprimorou muito e hoje em dia é possível alcançar resultados naturais e harmônicos.

Falando em resultados, eles levam alguns dias para aparecer e em duas semanas se chega ao efeito final, que costuma durar de quatro a seis meses.

 

Ácido hialurônico

Diferentemente do Botox, o ácido hialurônico é usado para preencher pequenas áreas do rosto. Por ser uma substância encontrada naturalmente no corpo, seu uso é seguro e não há risco de rejeição ou alergias. Analisando com cuidado as características de cada paciente, o médico preenche linhas de expressão e regiões que perdem o volume com o tempo, como ao redor dos olhos. Os efeitos também são temporários e duram entre seis meses e um ano.

 

Botox ou ácido hialurônico: qual escolher?

O uso de uma substância não exclui a indicação da outra. Apenas o olhar treinado de um médico pode dizer qual a melhor solução para as necessidades de um paciente. Por exemplo, peles mais jovens que ainda tenham seu contorno e volumes preservados, se beneficiam da toxina botulínica quando apresentam suas primeiras linhas de expressão. Casos um pouco mais avançados têm ótimos resultados com uma mãozinha do ácido hialurônico, que preenche as rugas e regiões do rosto que com o tempo perdem o volume.

Em muitos casos, na verdade, eles se complementam, já que agem sinergicamente, corrigindo tanto a volumetria, como a dinâmica da face.

 

Harmonização facial

Esse termo tem sido muito usado na mídia para falar de tratamentos estéticos que rejuvenescem o rosto sem dar aquele aspecto artificial. Mas ele nada mais é do que a combinação de dois ou mais procedimentos pensados com cuidado para que não fiquem exagerados ou desproporcionais. Além da dupla Botox e ácido hialurônico, é possível contar com outras substâncias, mas atenção: só um médico capacitado pode indicar os produtos a um paciente e determinar em quais pontos eles devem ser aplicados.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

A menopausa é uma fase inevitável na vida mulher. Ela chega por volta dos 50 anos e, por ser um momento de intensas alterações hormonais, acaba também afetando a pele. Mas não é preciso espanto nem medo para encarar essa nova etapa da vida. Entenda com a gente o que acontece e o que pode ser feito para continuar linda e com a pele saudável.

 

Problema: Envelhecimento da pele na menopausa

A partir dos 20 anos temos uma diminuição na produção de colágeno da ordem de 1% ao ano. Além disso, com o passar do tempo, o corpo vai perdendo outras substâncias conhecidas por dar viço à pele, como ácido hialurônico e DHEA, o “hormônio juventude”. Tudo isso afeta diretamente a pele, que fica menos elástica e mais sujeita ao aparecimento de rugas e linhas de expressão.

Para as mulheres que por muitos anos se expuseram ao sol sem proteção, também costuma ser maior o aparecimento de manchas, que acabam contribuindo para o aspecto envelhecido da pele.

Como amenizar a situação: a medicina já avançou muito no combate inteligente ao envelhecimento da pele. É possível preencher áreas estratégicas com ácido hialurônico e contar com tratamentos que estimulam a produção de colágeno pelo próprio corpo, como peelings, injeções de ácido polilático e sessões de laser. O uso diário de protetor solar é indispensável e, se ainda não virou hábito, a hora é agora!

 

Problema: Pele ressecada

Com a redução de hormônios como estrogênio e DHEA, a pele produz menos sebo, que é justamente o componente que a mantém hidratada. Assim, ela se torna mais fina, sensível e ressecada.

Em algumas mulheres, essa montanha-russa hormonal pode até desencadear o aparecimento de acne.

Como amenizar a situação: É muito importante conversar com um dermatologista sobre as alterações desse momento sensível. O profissional vai avaliar não só a pele, mas todo o comportamento do corpo durante a menopausa, o estilo de vida da paciente e prescrever os tratamentos adequados. Para peles secas, o médico vai recomendar hidratantes especiais para a necessidade da paciente, além de outros produtos e tratamentos que vão ajudar a restaurar o viço da pele.

 

Problema: Maior risco de lesões

Como a pele fica mais fina e sensível, ela está mais sujeita a lesões e machucados: até mesmo esbarrões em móveis de casa podem levar a hematomas e pequenos cortes.

Como amenizar a situação: Essa nova estrutura da pele não é motivo para alarme, mas é mais um ponto para conversar com um dermatologista. O médico vai orientar o paciente a manter a pele saudável e, caso se machuque, como proceder.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Sim. Durante qualquer cirurgia – não só a plástica –, muitos tecidos sofrem traumas. Isso é perfeitamente normal e esperado. A forma natural de o corpo reagir a tudo isso é formando o processo inflamatório. Ele se inicia com uma maior irrigação sanguínea na região e, com o tempo, causa o inchaço e o acúmulo de outros líquidos. Mas atenção:  não confunda inflamação, que é o organismos reagindo naturalmente, com infecção, que é o organismo sendo atacado!

 

Como amenizar o inchaço

Todo cirurgião plástico orienta seus pacientes sobre os cuidados no pós-operatório e uma das maiores preocupações é justamente diminuir o inchaço. Para procedimentos com lipoaspiração, a cinta de compressão é essencial nessa fase, já que ela ajuda a comprimir a região, auxiliando o corpo a se recuperar. Em outras regiões do corpo, a compressão pode ser feita de outras formas — são exemplos o sutiã na mamoplastia e uma proteção especial no pescoço na redução da papada.

Outra medida importante é a drenagem linfática. Nela, profissionais habilitados massageiam com cuidado a região, auxiliando a conduzir as substâncias que formam o inchaço até a circulação sanguínea. De lá, elas são eliminadas pela urina.

 

Em quanto tempo o inchaço desaparece?

Não há um prazo exato que se aplique a todos os pacientes. O inchaço diminui gradualmente e pode levar semanas ou até meses para que o corpo atinja o aspecto desejado. Cada pessoa reage de uma forma diferente a intervenções cirúrgicas e por isso cada recuperação tem seu ritmo. Esse é mais um motivo para que o paciente faça sempre o acompanhamento pós-cirúrgico de forma correta, indo às consultas programadas e sempre conversando sobre suas dúvidas e preocupações.

 

Uma boa alimentação ajuda a reduzir o inchaço?

Comidas pesadas sobrecarregam o sistema digestório e por isso, aumentam a sensação de mal estar. Já o edema pós-operatório deve-se à resposta do organismo para que a cicatrização ocorra. Os alimentos, mesmo com sódio, importam pouco nesse tipo de edema (inchaço). O que deve ser evitado é qualquer alimento pesado que naturalmente cause desconforto estomacal ou gases, como feijoada, churrasco e refrigerantes.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Muita gente tem vontade de se submeter a procedimentos cirúrgicos para melhorar o visual e acaba esbarrando no fator tempo. Afinal, passar por uma cirurgia eletiva – esta que pode ser feita sem urgência nem pressa – exige também certas manobras na agenda: da dedicação no preparo, o dia da operação em si e, principalmente, a recuperação. Uma alternativa que pode funcionar em inúmeros casos é a chamada cirurgia combinada.

A ideia é aproveitar esse tempo para já resolver duas (ou mais) questões de uma só vez. Muitas vezes, até a anestesia pode ser “aproveitada”, diminuindo assim o impacto no organismo.

 

Limites da cirurgia combinada

Claro que há procedimentos cirúrgicos que podem ser feitos concomitantemente. Inclusive se forem de especialidades médicas diferentes – nesse caso, é preciso que as equipes envolvidas planejem conjuntamente o que será feito e qual procedimento será realizado primeiro.

Acontece de pacientes chegarem ao consultório querendo fazer tudo de uma só vez. Lipoaspiração, implante de silicone, cirurgia nos braços… Muita calma. Tudo precisa ser avaliado de forma racional pelo médico.

Os limites do impacto de uma cirurgia no organismo variam de pessoa para pessoa. Idade, preparo físico, antecedentes de saúde e histórico familiar precisam ser avaliados. Exames ajudam o médico a analisar se realmente é o caso de fazer mais de uma cirurgia ao mesmo tempo. Além disso, é preciso colocar na balança as restrições e as necessidades impostas por cada tipo de cirurgia envolvida. O tempo total dos procedimentos também tem de ser levado em conta.

Em geral, procedimentos mais facilmente associados são aqueles que se enquadram na mesma área cirúrgica – ou, pelo menos, aqueles cujo pós-operatório envolve a mesma posição. Exemplos de combinações clássicas são lipoaspiração e abmominoplastia, prótese nas mamas e lipoaspiração, mamoplastia e abdominoplastia ou lifting facial e cirurgia de nariz.

O importante é chegar a um consenso entre as expectativas do paciente e, principalmente, os conhecimentos e as responsabilidades do médico. Por isso, mais do que nunca, na hora da cirurgia a confiança é fundamental.

Realizando os procedimentos para a cirurgia combinada de maneira consciente e seguindo as recomendações, a recuperação ocorrerá sem sobressaltos. E o resultado será compensador.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.