fbpx

Tag: "laser"

Muita gente diz que é possível adivinhar a idade de uma pessoa olhando para suas mãos. Mas como retardar o envelhecimento delas? É possível usar os mesmos cremes e tratamentos que usamos no rosto? 

 

Como as mãos envelhecem

Com o tempo, a pele de todo o nosso corpo envelhece. É um processo natural. As nossas mãos, por terem uma pele fina em constante movimento, evidenciam mais o envelhecimento. Além disso, mesmo quando as pessoas incorporam desde cedo cuidados com o rosto, muitas delas não fazem o mesmo com outras partes do corpo, como mãos e pescoço.

Por isso, é importante entender o que está causando o aspecto envelhecido das mãos para chegar à melhor solução.

 

Retardando o envelhecimento das mãos com protetor solar

O sol é um dos grandes responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele. Então, quando proteger o rosto, também não se esqueça das mãos! Uma forma fácil de incorporar esse cuidado na rotina é usar cremes hidratantes com fator de proteção solar. Leve sempre na bolsa e deixe também um no carro. Se você dirige, as mãos ao volante ficam mais expostas e merecem cuidado. 

 

Manchas senis

O nome pode ser chocante, mas estamos falando daquelas manchas marrons que aparecem geralmente pela exposição desprotegida ao sol. Elas não aparecem necessariamente em pessoas de idade e podem ser amenizadas com diversos tratamentos. Só um médico pode dizer qual a melhor opção para cada caso. É possível contar com peelings, aplicações de laser, cremes com formulações específicas e até mesmo combinar duas ou mais soluções. 

 

Preenchimento para rejuvenescimento das mãos

Em casos em que as mãos apresentam veias saltadas, é possível preencher o dorso com um composto especial, que recupera o volume e atenua o tom escuro dos vasos. É um procedimento feito no consultório do médico, pode necessitar de mais de uma sessão e deve ser refeito anualmente.

 

Combatendo a flacidez com colágeno e bioestimuladores

A diminuição de colágeno que ocorre naturalmente em nosso corpo é responsável pelo visual flácido das mãos. Tal efeito pode ser contornado com aplicação de ácido hialurônico, um componente naturalmente presente em nosso organismo e que rende bons resultados, sem rejeição. 

Em outros casos, é possível usar o ácido polilático, geralmente comercializado sob o nome Sculptra. Trata-se de uma substância que estimula nosso corpo a produzir o colágeno que perdemos naturalmente na idade adulta. Saiba mais sobre essa técnica aqui, que também pode ser usada para combater celulite e flacidez em outras regiões do corpo. A hidroxiapatita de cálcio é outro bioestimulador com resultados muitos bons para o rejuvenescimento das mãos.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Você já ouviu falar em colágeno, certo? Ele é a proteína responsável pela constituição da pele e sua firmeza. Mas, a partir dos 20 anos, nossa produção de colágeno cai 1% ao ano e é por isso que, à medida que envelhecemos, nosso rosto passa a ter um aspecto caído e perde o viço.

O envelhecimento é um processo natural. Pode ser controlado, mas não deixa de existir. É uma característica de todo ser humano.

Mas há algumas situações em que esse envelhecimento aparece mais cedo. Veja com a gente como isso acontece e como evitar.

 

O que é envelhecimento precoce?

É o surgimento, antes do tempo, de manchas, rugas e flacidez. A pele perde hidratação e elasticidade, ficando com um aspecto cansado e sem viço. As bolsinhas de gordura presentes sob a pele da pálpebra também podem mudar de lugar, provocando olheiras e bolsas sob os olhos.

 

Fatores para o envelhecimento precoce

Várias situações de nosso cotidiano contribuem para o rompimento das fibras de colágeno e para a obstrução dos poros, duas das causas mais frequentes do envelhecimento precoce. Mudanças hormonais e a exposição aos raios UV ajudam no aparecimento de manchas escuras.

E hábitos nocivos à saúde como um todo se refletem também na beleza da pele: tabagismo, sedentarismo, má alimentação, estresse e exposição ao sol sem protetor solar.

 

Como evitar o envelhecimento precoce?

Há fatores de envelhecimento mais fáceis e outros mais difíceis de evitar. Reflita sobre o seu estilo de vida e comece mudando coisas pequenas. Beber bastante água e não esquecer do protetor solar são um ótimo começo. Deixe a preguiça de lado: sempre tire a maquiagem antes de dormir e vá para a cama com o rosto limpo.

Falando nisso, qual foi a última vez que você foi ao dermatologista? Se faz mais de um ano, é hora de fazer uma nova visita. Será a oportunidade ideal para conversar sobre suas preocupações.

 

O que fazer quando a pele já apresenta sinais de envelhecimento?

Em sua consulta, o dermatologista vai buscar entender a origem do problema e como ele está se manifestando – se é flacidez, ressecamento, manchas, etc. Com essas informações, o médico prescreve o tratamento adequado, que pode ser com o uso de peelings, toxina butolínica, laser, preenchimento com ácido hialurônico [LINK] e até mesmo cirurgia plástica.

Quanto antes começar a combater o problema, melhores serão os resultados e mais simples os procedimentos necessários.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Queloide. Nem o nome é bonito. Mas você sabe o que é isso? Entenda com a gente como o problema ocorre e quais as formas de amenizá-lo.

O que é queloide?

Queloide é um crescimento anormal do tecido de uma cicatriz ou de qualquer outro trauma na pele, podendo vir acompanhado de dor ou coceira no local. Ele extrapola a região original da ferida, afetando uma área maior. Pode aparecer, por exemplo, durante o processo de cicatrização de um corte cirúrgico, de um machucado ou até mesmo em casos de acne severa. Tirando o aspecto estético, ele não representa um risco ao paciente e não é contagioso.

 

É a mesma coisa que cicatriz hipertrófica?

Não. A cicatriz hipertrófica é a cicatriz um pouco maior do que a esperada, mas que não extrapola a região da lesão. Ela pode ser um pouco mais alta e começa a aparece poucas semanas após a lesão. O queloide, por sua vez, é uma cicatrização desordenada, muito maior e que pode se desenvolver até meses depois do trauma. Seu tratamento é mais complexo.

 

Quem tem mais chance de desenvolver queloide?

O problema atinge ambos os sexos, mas ocorre com mais frequência em mulheres, orientais e pessoas com a pele mais pigmentada. Quem já desenvolveu queloide uma vez tem mais chance de tê-lo novamente.

 

Como evitar o queloide?

É possível cuidar da cicatriz para diminuir a chance de aparecimento de queloide, mas nada é 100% garantido.

Após uma cirurgia, converse com o médico, tire todas as dúvidas e siga à risca todas as orientações para o pós-operatório. “É possível que o médico prescreva uma pomada cicatrizante e que recomende o uso de fitas de silicone que comprimem a região do corte. Todos esses cuidados ajudam para que se tenha um melhor resultado na cicatrização”, afirma o Dr. Vitorio Maddarena, cirurgião plástico e diretor clínico da Clínica Maddarena.

Também é importante evitar exposição ao sol, já que ele provoca uma maior pigmentação da região e pode piorar o aspecto na cicatriz.

Saiba mais sobre cicatrização aqui.

Existe tratamento?

Uma das formas mais comuns é a infiltração de alguns tipos de medicamentos. Em casos mais severos, pode ser necessária intervenção cirúrgica. Nela, o cirurgião plástico remove o tecido em excesso, podendo combinar com tratamentos de infiltração e compressão. Um dos grandes desafios é não lesionar a região que está sadia, já que isso poderia provocar o aparecimento de novos queloides.

Aplicações de laser também podem ajudar, principalmente a clarear a região prejudicada. Saiba mais sobre tratamentos a laser aqui. Um bom médico vai avaliar o caso concreto e prescrever o tratamento adequado.

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

Na semana passada conversamos sobre o que causa o melasma. Hoje vamos falar sobre os principais tratamentos existentes.

Somente o médico dermatologista saberá avaliar o caso concreto e determinar qual ou quais tratamentos são mais indicados para um paciente. As condutas podem variar, mas a orientação de proteção contra luz visível e raios ultraviolenta é constante e precisa ser reforçada durante a terapia.

Hoje em dia, estão disponíveis diversos medicamentos de uso tópico e procedimentos como peelings e aplicações e luzes ou lasers para o clareamento.

Para combater o melasma, não há uma só receita: o médico costuma lançar mão de um conjunto de medidas tanto para clarear a mancha quanto para impedir que ela volte.

 

Fotoproteção contra o melasma

A proteção à exposição solar é condição fundamental para tratar o melasma. Tanto para iniciar o tratamento quanto para, depois, estabilizar e manter os resultados. Aqueles que têm melasma precisam aplicar, nas regiões afetadas, um filtro solar eficiente, físico e químico, com FPS alto.

É importante buscar produtos que tenham proteções tanto contra os raios ultravioleta A (UVA) quanto ultravioleta B (UVB).

 

Cremes

O uso de cremes não é uma unanimidade. Trata-se de um método que não funciona com todos os pacientes. Os produtos à base de hidroquinona, ácido glicólico, ácido retinoico e ácido azelaico podem ajudar na remoção das manchas. Também podem ser indicados ativos como arbutin, ácido kójico, ácido fítico, ácido tranexâmico e ácido dioico.

Os resultados começam a ser visíveis em cerca de 60 dias depois do início do tratamento. Depois desse período, o médico irá orientá-lo como continuar com os cremes, para que a condição seja estabilizada e o pigmento indesejado não retorne.

 

Peelings

Existem muitos tipos diferentes de peelings, sendo que alguns deles conseguem atingir até as camadas mais profundas da pele. Seu dermatologista pode ajudá-lo a escolher o mais adequado para seu caso.

Esse tipo de tratamento pode clarear a pele de forma gradual, com bons resultados para o combate ao melasma. Conheça os tipos de peeling mais populares aqui.

 

Laser e luz pulsada

Há tratamentos feitos com formas de energia luminosa que também clareiam o melasma. Isso pode ser feito com o laser ou com a luz intensa pulsada. É importante tomar cuidado: se tais procedimentos não forem feitos de forma adequada, o efeito pode ser inverso, já que a luz pode gerar mais pigmentação.

Por isso é importante escolher um bom médico dermatologista – um profissional credenciado, atualizado e que inspire confiança.

 

MMP, ou Microinfusão de Medicamentos na Pele

Com pequenas agulhas em um aparelho semelhante a uma máquina de tatuagem, o médico consegue alcançar com precisão a camada da pele afetada pelo melasma e aplicar diretamente o medicamento que irá combatê-lo. Essa técnica é utilizada para potencializar o efeito de diversos outros tratamentos. Conheça mais detalhes aqui.

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

VEJA MAIS POSTS SOBRE

Manchas escuras na pele – o melasma – geralmente estão associadas à gravidez. Mas você sabia que essas manchas podem aparecer em outros momentos da vida? E que os homens também estão suscetíveis a elas?

Saiba um pouco mais sobre o melasma e entenda como esse problema pode ser tratado.

 

O que é melasma?

Trata-se de uma condição cujo sintoma é o aparecimento de manchas escuras ou acastanhadas na pele. Elas ocorrem principalmente na face, sobretudo no rosto, na testa, no nariz e na região do buço. Mas também podem surgir nos braços, pescoço e colo. Nesses casos, é o chamado melasma extrafacial.

É mais comum em mulheres – mas também podem aparecem em homens. Na maior parte dos casos as manchas são bem definidas e de formatos irregulares.

Não há uma causa definida para o surgimento do melasma. Geralmente, entretanto, observa-se que tais manchas são decorrentes de uso de anticoncepcionais femininos, gravidez e por causa da exposição ao sol – seja por conta da luz ultravioleta, seja por conta da luz visível.

Além dos fatores hormonais, a predisposição genética também influencia no aparecimento do melasma.

 

Diagnóstico

Qualquer mancha na pele deve ser avaliada por um médico dermatologista. Só ele pode dizer com certeza se é um melasma ou outro tipo de problema, inclusive algo mais sério. O médico irá perguntar sobre o paciente, se há alguma outra queixa e o histórico familiar. É uma oportunidade excelente para tirar dúvidas e examinar o corpo inteiro em busca de lesões.

 

Cuidados

Pessoas com melasma não devem descuidar do sol. A proteção precisa ser feita diariamente, mesmo em dias nublados ou chuvosos e até mesmo no inverno.

O sol pode agravar o quadro, já que o melasma pigmenta com a luz. Além de filtro solar, é recomendável o uso de chapéus, óculos escuros, sombrinhas e guarda-sóis – enfim, a região acometida precisa estar protegida dos raios solares. Saiba mais dicas de proteção da pele aqui.

 

O melasma pode surgir em camadas diferentes da pele, o que exige tratamentos diferentes para cada caso. Na semana que vem vamos falar sobre os mais indicados. Hoje a medicina conta com vários medicamentos e tecnologias que podem suavizar o problema, como ácidos e terapias com laser. Fique ligado!

 

Já segue a Clínica Maddarena nas redes sociais?

instagram facebook1

VEJA MAIS POSTS SOBRE
×
Olá!
Como podemos te ajudar?
Por favor, digite seu nome.